07:56 15 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    O porta-aviões britânico HMS Queen Elizabeth em Portsmouth, Reino Unido

    Pequim faz alerta contra 'ação hostil' da Europa em região disputada

    © AP Photo/ Gareth Fuller
    Ásia e Oceania
    URL curta
    5255
    Nos siga no

    A China fez um alerta sobre a "ação hostil" da Europa por estar enviando navios de guerra para a região do mar do Sul da China.

    A ação estaria direcionada ao envio do porta-aviões britânico HMS Queen Elizabeth à região disputada do mar do Sul da China, bem como ao envio de embarcações militares francesas ao local, conforme informa o tabloide Express.

    "Se os EUA e o Reino Unido se juntassem em um desafio ou violassem a soberania e a integridade territorial da China, isso seria uma ação hostil", afirmou o general chinês Su Guanghui.

    A reivindicação da região e a declaração dada pela China não agradou os países vizinhos, como as Filipinas, Malásia, o Vietnã e Brunei.

    O pesquisador holandês, Frans-Paul van der Putten, do Instituto Clingendael, acredita que já era hora de a União Europeia intervir nas questões de segurança na Ásia, devido à sua urgência.

    Porta-aviões da Marinha Real Britânica HMS Queen Elizabeth
    © REUTERS / Peter Nicholls
    Porta-aviões da Marinha Real Britânica HMS Queen Elizabeth

    "O envio de embarcações militares ao mar do Sul da China pode fornecer aos governos europeus uma maior influência ao lidar com os EUA e a China em questões geopolíticas mais próximas de casa", afirmou o pesquisador.

    A declaração do pesquisador surge no momento em que Reino Unido, Alemanha e França afirmam estar "preocupados com a situação no mar do Sul da China, que pode provocar insegurança e tensão na região".

    Os EUA, por sua vez, consideram a região parte de sua estratégia indo-pacífica para conter a expansão militar chinesa.

    Porta-aviões USS Carl Vinson no mar do Sul da China, 8 de abril de 2017
    © REUTERS / Matt Brown
    Porta-aviões USS Carl Vinson no mar do Sul da China, 8 de abril de 2017

    Em uma clara demonstração de força, os EUA e o Reino Unido realizaram exercícios navais na região disputada, enquanto que a França navegou com suas embarcações militares perto das ilhas Spratly.

    Enquanto China e Malásia tentam resolver os impasses através do diálogo, Reino Unido e aliados norte-americanos e australianos seguem causando atritos com desculpa de "liberdade de navegação" na região.

    A linha de disputa é a mais rica em petróleo e percorre quilômetros pelo mar do Sul da China até alguns quilômetros das Filipinas, da Malásia e do Vietnã.

    Mais:

    EUA enviam navios da Guarda Costeira para mar do Sul da China
    Almirante americano insta Austrália e Indonésia a conterem Pequim no mar do Sul da China
    Pequim reforça bases no mar do Sul da China com novos caças J-10
    Tags:
    disputa territorial, ilhas, porta-aviões, embarcações, navios de guerra, Europa, China, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar