19:40 11 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Logotipo da empresa chinesa Huawei (imagem de arquivo)

    China critica EUA por 'abusar do conceito de segurança nacional' em cruzada contra Huawei

    © Sputnik / Kirill Kallinikov
    Ásia e Oceania
    URL curta
    8120
    Nos siga no

    Um porta-voz do Ministério de Relações Exteriores da China condenou os pedidos do vice-presidente norte-americano Mike Pence por mais cooperação internacional na cruzada em andamento nos EUA contra a gigante da tecnologia Huawei.

    Pequim criticou fortemente Washington depois que Pence pediu à "Islândia e outras nações amantes da liberdade que encontrem alternativas à operação 5G baseada na China", em uma reunião com a primeira-ministra da Islândia, Katrin Jakobsdottir.

    "Este é um hegemonismo típico e a politização de questões econômicas e comerciais", afirmou o porta-voz do Ministério de Relações Exteriores da China, Geng Shuang, citado pela agência AP.

    Os líderes americanos estão fazendo "comentários irresponsáveis" e continuam "abusando do conceito de segurança nacional" para atingir empresas chinesas, afirmou Geng.

    Washington vem pressionando seus aliados para interromper os negócios com a empresa chinesa Huawei - a segunda maior fabricante de smartphones do mundo - já há um bom tempo.

    O governo Trump alega que a empresa está em conflito com o governo chinês e representa uma ameaça à segurança, mas muitos não estão convencidos. A Alemanha, por exemplo, argumenta que não há evidências de comportamento suspeito da Huawei, e a empresa expressou prontidão para compartilhar seu código-fonte para que cada governo possa "validar por conta própria".

    Nesta semana, a Polônia e os EUA assinaram um acordo conjunto para "garantir que apenas fornecedores confiáveis participem das redes" - um acordo que pode ser um golpe na Huawei. A mudança ocorre quando Varsóvia tenta aumentar seus laços com Washington.

    A Huawei, por sua vez, acusou os EUA de "usar todas as ferramentas à sua disposição - incluindo poderes judiciais e administrativos, além de outros meios inescrupulosos - para interromper as operações comerciais normais da Huawei e de seus parceiros".

    Os EUA lançaram ataques cibernéticos contra os sistemas da empresa e tentaram se passar por agentes de recrutamento ou espionagem, afirmou a Huawei em comunicado divulgado na terça-feira.

    Mais:

    Huawei revela sistema operacional para celulares que pode substituir Android
    Huawei considera investir em fábrica no Brasil
    Huawei lança processador de inteligência artificial mais potente do mundo
    Tags:
    espionagem, Geng Shuang, relações bilaterais, diplomacia, sanções, tecnologia 5G, Huawei, China, Estados Unidos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar