08:58 12 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Polícia de Hong Kong usando gás lacrimogênio contra manifestantes

    Líder de Hong Kong diz que escalada de violência está se tornando mais séria

    © REUTERS / Tyrone Siu
    Ásia e Oceania
    URL curta
    492
    Nos siga no

    A líder de Hong Kong, Carrie Lam, disse nesta terça-feira (27) que a escalada de violência nos protestos contra o governo está se agravando.

    A declaração de Lam vem logo após as manifestações do domingo (25), quando a polícia disparou canhões de água e gás lacrimogêneo em durante enfrentamentos contra manifestantes, que responderam atirando tijolos e bombas de gasolina, conforme publicou a Reuters.

    A cidade governada pela China enfrenta a maior crise política desde a sua transferência para Pequim, em 1997.

    A líder de Hong Kong, apoiada por Pequim, disse estar confiante de que o governo da cidade pode lidar com a agitação por si só e ela não desistirá de construir uma plataforma para o diálogo.

    Lam também afirmou que ainda é o momento certo para um inquérito independente sobre a crise, uma das principais demandas dos manifestantes.

    O governo disse na segunda-feira (26) que a violência ilegal está empurrando Hong Kong à beira de um grande perigo. A manifestações mais recentes registraram o primeiro tiroteio e a prisão de 86 pessoas, entre elas uma criança de 12 anos, ainda segundo a agência.

    Os protestos emergiram em meados de junho devido a uma lei de extradição, agora suspensa, que permitiria que pessoas de Hong Kong fossem enviadas à China continental.

    As manifestações evoluíram ao longo de 12 semanas e pedem agora por maior democracia, garantia de direitos e autonomia.

    Mais:

    Manifestantes cercam prédio da Assembleia Legislativa de Hong Kong
    China ataca Taiwan por oferta de asilo a manifestantes de Hong Kong
    Consulado do Canadá em Hong Kong proíbe viagens de funcionários à China continental
    Pelo menos 15 policiais ficam feridos em confrontos com manifestantes em Hong Kong
    Tags:
    China, Hong Kong
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar