03:56 26 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    Oficial durante busca pelo avião do voo MH370, da companhia aérea Malaysia Airlines, no sul do oceano Índico, 22 de março de 2014 (imagem de arquivo)

    Avião do voo MH370 poderia ter parado no ar durante falha mecânica, sugere teoria

    © AP Photo / Rob Griffith
    Ásia e Oceania
    URL curta
    0 20

    O MH370 poderia ter parado no ar enquanto a tripulação entrava em pânico durante uma falha mecânica, sugere uma teoria que liga esse caso a outros desastres aéreos semelhantes.

    No documentário "Flight MH370", especialistas teorizam que o voo 370 da Malaysia Airlines poderia ter tido o mesmo destino que o voo 447 da Air France, que sofreu um acidente no dia 1º de junho de 2009 na rota do Rio de Janeiro para Paris, com 228 pessoas a bordo.

    "[O voo 447] deparou-se com mau tempo […] Houve um problema com alguns dos equipamentos de bordo e, em seguida, a tripulação reagiu inadequadamente a um problema", disse o advogado especializado em aviação James Healy-Pratt, complementando que essa "crise se transformou em uma emergência".

    Nos tubos que medem a velocidade do ar formou-se gelo, o que desconectou o piloto automático, escreve o tabloide britânico Express, adicionando que o piloto reagiu erroneamente levantando o nariz do avião para cima, o que fez com que ele perdesse velocidade e parasse no meio do voo.

    "O airbus parou a 34.000 pés [10,3 km] e levou três minutos e meio para atingir o oceano, com a perda de todas as 228 pessoas a bordo", explicou Healy-Pratt.

    MH370 nunca foi achado

    O especialista em aviação Jeff Wise comparou os dois desastres, alegando que eles têm semelhanças "estranhas". Em seu livro, Wise apontou que, nos dois casos, os aviões desapareceram depois de voarem para fora do alcance do radar terrestre durante a noite. Em ambos os casos, os controladores de tráfego aéreo também demoraram a perceber que algo errado tinha ocorrido, porque o símbolo da aeronave continuava a ser exibido em suas telas.

    A principal diferença entre as duas tragédias é que o AF447 foi finalmente encontrado, porque o avião vinha enviando regularmente atualizações às autoridades da companhia, enquanto os destroços do MH370 nunca foram encontrados.

    No entanto, os especialistas consideram que a tripulação pode ter se deparado com uma falha mecânica e entrado em pânico, tal como como o piloto do voo 447.

    "Não houve nenhuma comunicação de rádio, o que sugere que foi uma espécie de emergência que impediu os pilotos de comunicarem imediatamente", comentou o consultor de aviação Alastair Rosenschein.

    Explosão de cilindro de oxigênio

    Uma dessas teorias de uma emergência ocorrida em pleno voo sugere que o cilindro de oxigênio tenha explodido, causando danos devastadores.

    Um incidente desses aconteceu no voo 667 da EgyptAir, que sofreu um incêndio no aeroporto do Cairo em 29 de julho de 2011. Uma investigação ao incêndio revelou que este tinha sido causado pelo sistema de oxigênio de emergência da tripulação.

    Se um cilindro de oxigênio tivesse explodido no voo da Malaysia Airlines, o piloto poderia não ter tido tempo de enviar um pedido de socorro.

    Uma mulher escreve condolências no Dia da Memória dos trágicos acontecimentos com o avião MH370 em Kuala Lumpur
    © AP Photo / Vincent Thian
    Uma mulher escreve condolências no Dia da Memória dos trágicos acontecimentos com o avião MH370 em Kuala Lumpur

    A aeronave do voo MH370 desapareceu em 8 de março de 2014, na rota de Kuala Lumpur para Pequim com 239 pessoas a bordo. Após vários anos de tentativas infrutíferas de localizar os restos do avião, o governo da Malásia concluiu as buscas em maio de 2018, admitindo não saber o que aconteceu com o avião.

    Mais:

    Voo MH370 pode ter sido sequestrado por terroristas tendo engenheiros dos EUA como alvo
    Mistério do voo MH370: como cilindro de oxigênio poderia ter derrubado avião malaio
    Ciberterrorismo pode ter causado desaparecimento do voo MH370, segundo especialista
    Tags:
    Malaysia Airlines, MH370, voo MH370
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar