06:31 22 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Donald Trump e Xi Jinping durante a reunião bilateral na cimeira do G20 em Buenos Aires

    'Estejam preparados': China afirma que responderá qualquer tarifa dos EUA

    © AP Photo / Pablo Martinez Monsivais
    Ásia e Oceania
    URL curta
    8331
    Nos siga no

    Pequim está pronta para tomar medidas retaliatórias caso os Estados Unidos introduzam mais tarifas sobre produtos chineses, disse a porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Hua Chunying, em uma coletiva de imprensa nesta sexta-feira (2).

    Na quinta-feira (1), o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse que Washington vai impor tarifas de 10% sobre US$ 300 bilhões em importações chinesas a partir de 1º de setembro.

    "O lado chinês terá que adotar as contra-medidas necessárias se os Estados Unidos introduzirem novas tarifas. Washington deve ser responsabilizada pelas conseqüências, e se eles realmente derem esse passo, então eles devem estar preparados para todos os possíveis resultados", disse Hua.

    A porta-voz do Ministério das Relações Exteriores pediu aos EUA que resolvam a disputa comercial por meio do diálogo e ajam com responsabilidade.

    "Pequim pede aos Estados Unidos que abandonem as ilusões, mostrem responsabilidade e voltem ao caminho certo para resolver as contradições através de um diálogo mutuamente benéfico e igualitário", disse ela.

    Na véspera do anúncio de Trump, os EUA e a China encerraram suas negociações comerciais em Xangai. A Casa Branca descreveu o encontro como "construtivo", afirmando que a China está comprometida em aumentar as compras de produtos agrícolas norte-americanos.

    Ambos os países estão em guerra comercial desde junho de 2018, quando o presidente dos EUA, Donald Trump, anunciou a imposição de tarifas de US$ 50 bilhões em importações chinesas em uma tentativa de equilibrar o déficit comercial. Desde então, os dois países introduziram várias rodadas de tarifas recíprocas.

    Mais:

    Irã incentiva China e outros aliados a comprarem mais petróleo em meio a sanções dos EUA
    Trump adverte China: se esperar eleições de 2020, Pequim pode ficar sem acordo comercial
    Interesse dos EUA em acordo com o Brasil é frear expansão da China no continente, diz especialista
    Assessores de Trump não concordam com imposição de novas taxas à China, diz mídia
    Tags:
    Donald Trump, Hua Chunying, Washington, Pequim, EUA, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar