18:07 12 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Dois navios de guerra chineses durante exercícios militares

    China inicia exercícios militares nas águas próximas à Taiwan

    © AP Photo / Zha Chunming
    Ásia e Oceania
    URL curta
    6424
    Nos siga no

    China iniciou hoje (29) manobras militares, perto da ilha de Taiwan, que irão se prolongar até ao dia 2 de agosto.

    Uma notificação publicada pela Administração de Segurança Marítima chinesa, sem especificar o caráter dos exercícios, indicou, porém, que as manobras terão lugar ao largo da costa das províncias de Guangdong e Fujian, a oeste de Taiwan.

    Outros navios não poderão entrar na zona enquanto durarem os exercícios.

    O Livro Branco da Defesa Nacional, publicado na semana passada pelo Conselho de Estado da China, reafirma que Pequim se reserva o direto à utilização da força militar para alcançar a reunificação com Taiwan.

    Na semana passada, o cruzador estadunidense USS Antietam navegou através do estreito de Taiwan, em direção ao norte, de acordo com o Ministério da Defesa de Taiwan. O comandante Clay Doss disse que o navio fez um trânsito rotineiro de acordo com as leis de navegação internacionais.

    Anteriormente, o governo chinês advertiu que poderia recorrer à força contra qualquer um que interfira nos seus esforços de reunificação com Taiwan. Para o governo chinês, a ilha é parte do país, embora seja governada democraticamente e tenha se separado do continente em meio à guerra civil em 1949.

    "Se alguém ousar separar Taiwan da China, o Exército chinês certamente lutará em defesa da unidade soberana e integridade territorial do país", disse Wu Qian, porta-voz do Ministério da Defesa da China.

    No início deste mês o Departamento de Estado dos EUA assinou um pedido de compra de armas por parte de Taiwan avaliado em mais de US$ 2 bilhões.

    Mais:

    China pede que os EUA abandonem os planos de vender armas para Taiwan
    Tags:
    EUA, China, exercícios militares, Taiwan
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar