11:14 18 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Ativistas do grupo indiano Hindu Sena, da direita, queimam uma bandeira do grupo jihadista Daesh, o autoproclamado Estado Islâmico, em Nova Deli, Índia

    Direita indiana pede censura ao Alcorão alegando ameaça à segurança nacional

    © AFP 2019 / SAJJAD HUSSAIN
    Ásia e Oceania
    URL curta
    6122
    Nos siga no

    Um grupo da direita indiana conhecido por suas posições polêmicas pediu ao governo o banimento do Alcorão do país, afirmando que o livro sagrado do islã representaria uma grave ameaça à segurança da Índia.

    O presidente do Hindu Sena, Vishnu Gupta, enviou uma carta ao Ministério do Interior nesta segunda-feira explicando suas críticas à obra.

    "Eu encontrei nele muitas contradições e exemplos chocantes de violência contra não-muçulmanos e ex-muçulmanos, assim como de subornos a pessoas para desfrutar de um paraíso islâmico imaginário", afirmou Gupta após ler um exemplar do Alcorão, livro que, segundo ele, serviria para enganar os jovens e promover o terrorismo ao afirmar que os muçulmanos que morrem lutando contra os inimigos de Alá (não-muçulmanos) poderiam desfrutar de belas mulheres eternamente. 

    ​"O governo da Índia iniciou um processo legal contra um pregador islâmico perigoso como Zakir Naik, mas a verdade é que Zakir Naik foi e é inspirado pelos ensinamentos desse livro, Corão, e suas ações e discursos são congruentes com o conteúdo e a mensagem do Alcorão", disse.

    Mais:

    Sri Lanka proíbe ideologias religiosas que preguem extremismo
    'Não à guerra nuclear': Paquistão topa desistir de armas nucleares se Índia fizer o mesmo
    Presidente do Irã diz que Estado Islâmico foi criado para promover a islamofobia
    Tags:
    segurança nacional, Alá, terrorismo, extremismo, Islã, islamismo, Alcorão, Índia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar