09:35 15 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Lançamento do míssil Hwasong-12, 15 de setembro, 2017

    EUA pedem fim das provocações da Coreia do Norte e retomada das negociações

    © REUTERS / KCNA
    Ásia e Oceania
    URL curta
    10110
    Nos siga no

    Os EUA pediram nesta quinta-feira que a Coreia do Norte se abstenha de mais provocações após o país comunista testar dois novos mísseis balísticos de curto alcance, declarando ainda espera uma retomada das conversações sobre a desnuclearização norte-coreana.

    "Queremos ter um compromisso diplomático com os norte-coreanos", afirmou em entrevista coletiva a porta-voz do Departamento de Estado dos EUA, Morgan Ortagus, quando questionada sobre os últimos testes de mísseis. "Pedimos por mais nenhuma provocação".

    "Este governo está comprometido com o compromisso diplomático com os norte-coreanos e continuamos a pressionar e esperar que essas negociações em nível de trabalho avancem", acrescentou.

    Ortagus disse que o secretário de Estado estadunidense Mike Pompeo viajará para a Tailândia, Austrália e Micronésia entre os dias 30 de julho e 6 de agosto, mas ela não tinha reuniões com os norte-coreanos para anunciar.

    Ortagus se recusou a comentar quando questionada sobre uma notícia de uma fonte diplomática, publicada pela Agência Reuters, sobre o ministro de Relações Exteriores da Coreia do Norte, Ri Yong-ho, ter cancelado uma visita a um fórum regional de segurança em Bangcoc na próxima semana, na qual ele e Pompeo poderiam se encontrar.

    Presidente dos EUA Donald Trump e líder norte-coreano Kim Jong-un durante encontro na linha demilitarizada, 30 de junho de 2019
    © AP Photo / Susan Walsh
    Presidente dos EUA Donald Trump e líder norte-coreano Kim Jong-un durante encontro na linha demilitarizada, 30 de junho de 2019

    Os testes de mísseis da Coreia do Norte ocorreram apesar de um encontro entre seu líder Kim Jong-un e o presidente estadunidense Donald Trump na zona desmilitarizada (DMZ), que separa as duas Coreias, no mês passado, onde os dois homens concordaram em retomar as negociações de desnuclearização. O encontro foi o primeiro entre eles após a cúpula no Vietnã que não trouxe qualquer resultado prático.

    "O que esperamos é que, depois da visita histórica que o presidente teve na DMZ com Kim Jong-un, possamos continuar avançando nos compromissos assumidos no Vietnã", prosseguiu Ortagus.

    "O que seria mais produtivo é para o presidente Kim e sua equipe e para o presidente Trump e todos os seus funcionários continuarem no caminho que foi estabelecido para nós no Vietnã e na DMZ, e isso é uma resolução diplomática e o fim de armas nucleares da Coreia do Norte", destacou a porta-voz.

    Ortagus enfatizou que as sanções dos EUA contra a Coreia do Norte permaneceriam em vigor até que essa meta fosse alcançada.

    A cúpula de Hanói entrou em colapso depois que os dois lados não conseguiram conciliar as diferenças entre as demandas norte-americanas pela desnuclearização completa da Coreia do Norte e as exigências norte-coreanas de alívio de sanções.

    Mais:

    Exercícios EUA-Coreia do Sul colocam conversas nucleares em risco, diz Pyongyang
    Vice-presidente dos EUA diz buscar assegurar 'liberdade religiosa' na Coreia do Norte
    Líder da Coreia do Norte inspeciona novo submarino e revela sistemas de armas
    Tags:
    sanções, desnuclearização, armas nucleares, relações bilaterais, diplomacia, Ri Yong-ho, Kim Jong-un, Mike Pompeo, Morgan Ortagus, Donald Trump, Vietnã, Coreia do Norte, Estados Unidos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar