13:47 20 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Dançarinos se apresentam durante cerimônia de posse da presidente de Taiwan, Tsai Ing-wen, em Taipé, 20 de maio de 2016

    EUA confirmam venda de armas a Taiwan diante de 'preocupação' da China

    © AP Photo / Chiang Ying-ying
    Ásia e Oceania
    URL curta
    426
    Nos siga no

    O Departamento de Estado dos Estados Unidos assinou o pedido de compra de armas de Taiwan avaliado em mais de US$ 2 bilhões.

    O anúncio foi feito nesta segunda-feira (8) pela Agência de Cooperação de Segurança (DSCA) através de um comunicado.

    A transação inclui 100 tanques M1A2T Abrams e uma lista de equipamentos relacionados, o que inclui mísseis Stinger.

    "Esta proposta de venda de [108] tanques M1A2 contribuirá para a modernização da frota de tanques de batalha do destinatário, aumentando sua capacidade de enfrentar as ameaças regionais atuais e futuras e fortalecer sua defesa interna", afirmou o texto, que também estimou o valor da transação em US$ 2 bilhões.

    Além disso, os Estados Unidos concordaram em vender mísseis antiaéreos Stinger para Taiwan no valor de US$ 224 milhões, disse a DSCA em um comunicado à parte.

    Anteriormente, o anúncio da compra de armas por parte do Ministério da Defesa de Taipei, gerou comentários do governo chinês.

    Na quinta-feira (6), o Ministério das Relações Exteriores da China demonstrou preocupação diante da transação, e pediu que o princípio da "China Única" seja respeitado. Oficialmente, os EUA reconhecem o princípio desde 1979.

    Taiwan é governada separadamente desde 1949, porém a China compreende a ilha como parte do território chinês.

    Mais:

    Turquia envia sinal aos EUA e a outros países ocidentais de que não se oporá à China
    China não vai desvalorizar yuan para dar um basta à guerra comercial com EUA
    Está sobrando? China presenteia Armênia com equipamentos militares
    China responsabiliza EUA por crise do acordo nuclear no Irã
    Tags:
    Departamento de Estado dos EUA, Taiwan, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar