01:08 20 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Óxidos metálicos raros

    Terras raras: saiba quais são as 'armas secretas' da China na briga comercial com os EUA

    CC0
    Ásia e Oceania
    URL curta
    10371
    Nos siga no

    O crescente conflito comercial entre os EUA e a China levantou preocupações sobre as medidas que cada lado poderia usar em sua luta, incluindo a opção de Pequim de restringir as exportações de metais de terras raras.

    A medida econômica é apelidada de uma das opções nucleares de Pequim em sua batalha contra Washington, devido ao fato de que a China é o maior produtor de metais de terras raras e detém as maiores reservas.

    Os metais de terras raras são "certamente armas que a China pode usar em seu arsenal de negociações comerciais contra o presidente dos EUA, Donald Trump", avaliou o analista político independente Alessandro Bruno à RT.

    "Para demonstrar sua importância estratégica, os metais de terras raras estão entre os poucos itens chineses que Trump [ou seus funcionários] excluíram da lista de itens sujeitos a tarifas / impostos extras", prosseguiu o especialista, acrescentando que "a China entende a importância estratégica dos metais de terras raras e estabelece cotas de exportação".

    "Os Estados Unidos dependem da China, principal fornecedora global, para cerca de 80% de seus metais de terras raras", comentou.

    Mas o que são os metais de terras raras, para que são usados e por que eles são importantes para todos nós?

    Terras raras ou metais raros são um grupo de 17 elementos químicos com características especiais. Os materiais na verdade não são raros, apesar de seu nome, mas são difíceis de encontrar nas concentrações desejáveis e são difíceis de processar, pois os minérios geralmente contêm materiais radioativos que ocorrem naturalmente, como urânio e tório.

    O grupo consiste em ítrio e 15 elementos de lantanídeos (lantânio, cério, praseodímio, neodímio, promécio, samário, európio, gadolínio, térbio, disprósio, hólmio, érbio, túlio, itérbio e lutécio). O escândio é encontrado nos mais raros depósitos de elementos da terra e também é classificado como um elemento de terras raras.

    Os elementos são muitas vezes referidos como "óxidos de terras raras" porque muitos deles são normalmente vendidos como compostos de óxido.

    A China controla cerca de 85% a 95% de toda a produção e fornecimento de terras raras. No ano passado, o país produziu cerca de 78% do volume global de terras raras.

    Os metais e ligas que os contêm são usados em muitos dispositivos que as pessoas usam todos os dias, como memória de computador, DVDs, baterias recarregáveis, telefones celulares, catalisadores, ímãs, iluminação fluorescente e assim por diante.

    Nos últimos 20 anos, houve uma explosão na demanda por muitos itens que exigem metais de terras raras. Havia muito poucos telefones celulares em uso na época, mas o número subiu para mais de sete bilhões em uso hoje. O uso de terras raras em computadores cresceu quase tão rapidamente quanto o número de telefones celulares.

    Muitas baterias recarregáveis são feitas com compostos de terras raras. A demanda pelas baterias está sendo impulsionada pela demanda por dispositivos eletrônicos portáteis, como telefones celulares, leitores, computadores portáteis e câmeras.

    Terras raras também são usadas como catalisadores, fósforos e compostos de polimento para controle da poluição do ar, telas iluminadas em dispositivos eletrônicos e muito mais. Todos esses produtos devem experimentar uma demanda crescente.

    Os militares usam elementos de terras raras em óculos de visão noturna, armas guiadas com precisão, equipamentos de comunicação, equipamentos de GPS, baterias e outros componentes eletrônicos de defesa.

    "Então, há as considerações aeroespaciais e de defesa. O Departamento de Defesa dos EUA está preocupado com a falta de suprimento adequado de terras raras nos EUA, notando que isso compromete as capacidades de fabricação de armas", disse Bruno.

    Ele explicou que a China poderia prejudicar a indústria global, especialmente as tecnologias emergentes, se proibisse a exportação de materiais de terras raras. Há muito poucas opções em terceirizar esses metais de tecnologia essencial de qualquer outro lugar, avaliou o analista.

    "É claro que a China não necessariamente quer fazer isso porque faz um longo jogo — e não quer que o Ocidente desenvolva alternativas", concluiu.

    Mais:

    Samsung deve lucrar com perdas da Huawei na guerra comercial EUA-China
    Sobrou para o Brasil: guerra das telecomunicações EUA-China já causa efeitos colaterais
    Banir a Huawei é '10 vezes mais importante' do que acordo com a China, diz Bannon
    Tags:
    tecnologia, metais de terras raras, lantanídeos, reserva mineral, disputa comercial, mineração, metais raros, metais, Alessandro Bruno, Donald Trump, Estados Unidos, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar