14:30 18 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Um homen escreve condolências no Dia da Memória dos trágicos acontecimentos com o avião MH370

    Missão suicida? Piloto do voo MH370 teria pretensamente simulado trajeto aéreo em casa

    © AP Photo / Daniel Chan
    Ásia e Oceania
    URL curta
    311
    Nos siga no

    O comandante do voo fatal MH370 da Malaysia Airlines tinha cinco percursos programados no simulador de voo em casa dele – todos eles no oceano Índico, de acordo com alegações.

    Dados de radar e satélite mostram como o avião, pilotado pelo comandante Zaharie Shah, mudou subitamente de rumo e sobrevoou a Malásia antes de virar para o sul de Penang e depois para o sul do oceano Índico, sendo que o último sinal de tráfego aéreo foi emitido às 1h19 sobre o mar do Sul da China, comunica o tabloide britânico Express.

    Zaharie Shah tem estado sob escrutínio ao longo dos anos, com alegações que o acusam de participar de uma missão suicida levando seus passageiros consigo.

    Essa hipótese foi alimentada ainda mais em 2016, quando as autoridades australianas confirmaram que o comandante havia praticado uma rota onde o avião teria desaparecido usando o simulador de voo que ele construiu em casa.

    Uma fonte anônima disse ao jornal malaio Berita Harian em 2014 que não "descarta a possibilidade de que o avião tenha pousado em uma pista que pode não ser fortemente monitorada, além das teorias de que o avião pousou no mar, em colinas ou em um espaço aberto".

    "A informação do simulador mostra apenas a possibilidade de planejamento […] Ele não revela o que aconteceu na noite do seu desaparecimento nem onde a aeronave está localizada", declarou um porta-voz do Escritório Australiano de Segurança no Transporte (ATSB) – o órgão que está liderando a busca pelo avião.

    O piloto aposentado Christopher Goodfellow acredita que a súbita mudança de direção do MH370 não foi um erro e que o comandante experiente estava bem ciente de todos os aeroportos próximos da região antes da viagem.

    Em 8 de março de 2014, o voo MH370 deixou o aeroporto de Kuala Lumpur para iniciar a viagem para Pequim, na China, com 239 pessoas a bordo e desapareceu dos radares 40 minutos depois da decolagem. A operação de busca, financiada por governos de vários países, não deu resultados.

    Apesar de vários destroços que pertenceriam ao avião terem sido encontrados no litoral de ilhas do oceano Índico, a procura pela aeronave foi terminada em 2018.

    Mais:

    'Fiquei chocada': testemunha relata ter visto avião do voo MH370 no Índico
    Hacker afirma que ataque cibernético poderia ter derrubado MH370
    Informação usada na investigação oficial do MH370 estava incorreta, afirma especialista
    Tags:
    Malaysia Airlines, voo MH370
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar