09:03 24 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    Porta-aviões USS Carl Vinson no mar do Sul da China

    China protesta contra 'violação da soberania' após passagem de navios dos EUA

    © REUTERS / Z.A. Landers/Marinha dos EUA
    Ásia e Oceania
    URL curta
    213

    Dois navios de guerra dos EUA que passaram pelo mar do Sul da China violaram a soberania da China, ameaçando a paz e a segurança, disse Pequim em resposta ao que a Marinha dos EUA chamou de "passagem inocente" que "desafiou" as reivindicações marítimas.

    Os destróieres de mísseis guiados dos EUA Preble e Chung Hoon viajaram a 12 milhas náuticas dos recifes Gaven e Johnson, nas Ilhas Spratly, nesta segunda-feira, informou um porta-voz militar dos EUA à Agência Reuters.

    A Marinha chinesa supostamente pediu aos navios dos EUA para sair.

    "As ações relevantes dos navios de guerra dos EUA violaram a soberania da China e minaram a paz, segurança e boa ordem nas áreas marítimas relevantes", declarou Geng Shuang, porta-voz do Ministério de Relações Exteriores da China, em uma coletiva de imprensa.

    "O lado chinês expressa forte insatisfação e oposição resoluta" à operação, acrescentou Geng, observando que os navios entraram na área "sem permissão".

    Um porta-voz da Sétima Frota da Marinha dos EUA descreveu a "passagem inocente" dos navios de guerra como um meio de desafiar "reivindicações marítimas excessivas" e preservar "o acesso às vias navegáveis conforme o direito internacional".

    O mar do Sul da China continua a ser um ponto crítico para a deterioração das relações EUA-China. Os EUA têm enviado regularmente seus navios de guerra para patrulhar a área disputada, uma política denunciada por Pequim.

    Mais:

    EUA pretendem frear desenvolvimento militar chinês com caças F-35, segundo general
    China causaria danos altamente significativos para EUA, aponta relatório
    Avanço da China na Ásia Central pode causar atrito com a Rússia, diz Pentágono
    Tags:
    relações bilaterais, soberania, diplomacia, Geng Shuang, Mar do Sul da China, Estados Unidos, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar