12:54 17 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    Petroleiro no porto de Bandar Abbas, no sul do Irã (foto de arquivo)

    China avisa sobre aumento de 'turbulência' com jogada dos EUA contra petróleo do Irã

    © AFP 2019 / ATTA KENARE
    Ásia e Oceania
    URL curta
    9333

    O fim da isenção de sanções norte-americanas para compra de petróleo iraniano não agradou a grandes compradores do hidrocarboneto do Irã, dentre eles, a China.

    Pequim criticou mais uma vez a decisão da administração do presidente norte-americano, Donald Trump, de sancionar a importação do petróleo iraniano, alertando sobre a possibilidade de consequências para a segurança do Oriente Médio.

    "A China se opõe firmemente à execução norte-americana de sanções unilaterais e à chamada jurisdição armada duradoura", afirmou o porta-voz do MRE chinês, Geng Shuang, a repórteres, na terça-feira (23).

    "A jogada relevante dos Estados Unidos vai intensificar a turbulência no Oriente Médio e a turbulência no mercado energético internacional", reforçou o porta-voz chinês.

    Mais interiormente nesta semana, Shuang declarou que a China faria o que for necessário para proteger seus interesses comerciais que poderiam ser afetados pela recente decisão norte-americana de isentar as sanções contra petróleo iraniano.

    Na segunda (22), Washington anunciou que vai pôr fim, em maio, à isenção das sanções sobre a importação de petróleo proveniente do Irã.

    A isenção foi dada por um prazo de 180 dias pelos EUA para os oito principais compradores – China, Índia, Japão, Coreia do Sul, Taiwan, Turquia, Itália e Grécia, com o prazo terminado no dia 2 de maio.

    Mais:

    'Boas-vindas à Marinha': confira imagens da chegada de navios russos à China
    China promete expor potência naval inédita durante desfile nesta semana
    Nova Rota da Seda: 17 países árabes se unem à iniciativa comercial da China
    Tags:
    sanções, petróleo, Irã, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar