04:30 17 Junho 2019
Ouvir Rádio
    Narendra Modi, premiê da Índia

    Votações na Índia começaram: Entenda como vão funcionar as eleições que duram 6 semanas

    © Sputnik / Sergey Guneev
    Ásia e Oceania
    URL curta
    230

    A eleição geral de seis semanas da Índia começou na manhã desta quinta-feira (horário local), com as seções eleitorais do nordeste do país entre as primeiras a serem abertas.

    A 1ª fase das eleições gerais na Índia será realizada em todos os 91 distritos eleitorais do país, em 20 dos 29 estados indianos. Eleitores devem escolher os 543 membros do Parlamento do país, o Lok Sabha.

    A eleição geral da Índia ocorrerá em sete etapas até o dia 19 de maio, com cerca de 900 milhões de eleitores qualificados para votar na eleição. Este ano, aumentou em 84 milhões de cidadãos aptos a votar nas eleições gerais na comparação com 2014.

    Os parlamentares serão eleitos por meio da maioria simples dos votos nos distritos eleitorais de mandato único, o que significa que o candidato que obtiver o maior número de votos em determinado distrito recebe um assento no parlamento do país.

    O Partido Popular Indiano (BJP), comandado pelo primeiro-ministro Narendra Modi, é considerado um dos favoritos na corrida. Cinco anos atrás, o partido conseguiu uma maioria na legislatura, tendo assegurado 282 assentos. O principal rival do BJP provavelmente será o partido do Congresso Nacional Indiano, liderado por Rahul Gandhi, membro de uma das linhas políticas mais influentes do país — a família Nehru-Gandhi. Em 2014, o partido reivindicou apenas 44 cadeiras no parlamento.

    Além disso, os eleitores elegerão assembleias legislativas nos estados de Andhra Pradesh, Arunachal Pradesh, Odisha e Sikkim.

    A contagem de votos será realizada em 23 de maio, e os resultados deverão ser anunciados no mesmo dia. Um grupo precisa garantir pelo menos 272 assentos no Lok Sabha para reivindicar a maioria.

    Segundo a Reuters, a segurança aumentou depois que sete pessoas foram mortas em ataques de militantes na Caxemira e no leste do país, incluindo um parlamentar estadual do partido governista do primeiro-ministro Narendra Modi.

    Tags:
    Lok Sabha, Partido Popular Indiano, Reuters, Rahul Gandhi, Narendra Modi, Sikkim, Arunachal Pradesh, Odisha, Andhra Pradesh, Caxemira, Índia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar