15:09 22 Fevereiro 2019
Ouvir Rádio
    A bandeira da República Popular da China e as Estrelas e Listras dos Estados Unidos tremulam pela Avenida da Pensilvânia, perto do Capitólio dos EUA, durante a visita de Estado do presidente chinês, Hu Jintao em 18 de janeiro de 2011 (foto de arquivo).

    China nega querer desbancar lugar dos EUA no mundo

    © REUTERS / Hyungwon Kang
    Ásia e Oceania
    URL curta
    241

    O ministro das Relações Exteriores da China, Wang Yi, negou que seu país pretenda tomar o lugar dos Estados Unidos no mundo.

    "A China não pretende se tornar os Estados Unidos, nem substituir este país", disse Wang ao jornal chinês Renmin Ribao (Diário do Povo) em uma entrevista para marcar o 40º aniversário do estabelecimento de relações diplomáticas entre os dois países. 

    O chanceler descartou os temores de alguns norte-americanos de que a China necessariamente desafiaria ou desbancaria os Estados Unidos.

    "Alguns americanos presumem que um país forte deve necessariamente ser um usurpador […] Esta é uma opinião estratégica errada", disse ele.

    Ele indicou que nas relações entre a China e os Estados Unidos, como em outros países, há competição, mas ressaltou que "deve ser uma rivalidade saudável". Ao mesmo tempo, o ministro das Relações Exteriores fez um apelo para que ter uma maior cooperação com Washington.

    Wang também reiterou o firme compromisso da China com o desenvolvimento pacífico e sua estratégia de benefício recíproco.

    Mais:

    Senadores dos EUA dificultam exportação de componentes de telecomunicação à China
    EUA acusam China de tomar decisão política ao condenar canadense à morte
    Vice-almirante dos EUA apela a criar navios não tripulados para conter Rússia e China
    'Princípio de retração mundial': restrição da UE ao aço do Brasil reflete tensão EUA-China
    Tags:
    relações diplomáticas, Wang Yi, China, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik