09:03 22 Março 2019
Ouvir Rádio
    Submarino da Marinha da China durante missão (imagem referencial)

    EUA serão culpados se conflito com Pequim ocorrer no mar do Sul da China, diz pesquisador

    © AP Photo / Xinhua, Zha Chunming, File
    Ásia e Oceania
    URL curta
    3111

    As operações navais dos EUA no mar do Sul da China podem desencadear conflitos e os Estados Unidos seriam culpados se um confronto ocorresse, declarou um pesquisador militar chinês nesta quarta-feira.

    A advertência veio quando equipes comerciais chinesas e norte-americanas encerraram conversas em Pequim que aumentaram as esperanças de que uma guerra comercial total pudesse ser evitada, mas ainda há temores de que a tensão estratégica entre os dois países esteja crescendo.

    "Os navios de guerra dos dois países definitivamente podem se aproximar e é fácil que haja um mal-entendido ou um erro de julgamento, até mesmo uma colisão", disse Zhang Junshe, pesquisador do Instituto de Pesquisa de Estudos Militares do ELP da China.

    "Se houver um conflito, a causa raiz é os Estados Unidos", acrescentou.

    Na segunda-feira, um contratorpedeiro de mísseis guiados dos EUA navegou perto das disputadas ilhas do mar do Sul da China, no que a China chamou de "provocação", no mesmo momento em que as negociações comerciais começaram.

    Zhang afirmou que sempre que navios de guerra dos EUA entram em águas que a China proclamou, e a China não teve outra opção senão enviar navios de guerra para lidar com eles.

    Desde que o presidente estadunidense Donald Trump assumiu o cargo, houve 14 incidentes de embarcações da Marinha dos EUA entrando em águas que a China alega serem suas, o que os militares dos EUA chamam de liberdade de operações de navegação, analisou Zhang.

    A China reivindica quase todo o mar do Sul da China e denuncia os Estados Unidos e seus aliados sobre operações navais perto de ilhas ocupadas pela China.

    Vietnã, Filipinas, Brunei, Malásia, Indonésia e Taiwan têm reivindicações concorrentes à dos chineses na região.

    Taiwan em pauta

    He Lei, ex-vice-presidente da Academia de Ciências Militares da China, disse que "forças estrangeiras" que tentaram impedir a unificação da China e de Taiwan podem forçar Pequim a usar a força para colocar a ilha autogovernada sob seu controle.

    "Forças estrangeiras que representam a polícia mundial para interferir nos assuntos da China, para obstruir e danificar a unificação da China, são os principais culpados que podem forçar o continente a usar a força para resolver a questão de Taiwan", declarou ele a repórteres.

    Trump assinou na semana passada a lei do Asia Reassurance Initiative Act, que reafirma o compromisso dos EUA com Taiwan, incluindo a venda de armas.

    O presidente chinês, Xi Jinping, disse em 2 de janeiro que ninguém poderia mudar o fato de que Taiwan era parte da China.

    Mais:

    Destróier dos EUA passa perto de ilhas disputadas no mar do Sul da China
    China estaria se preparando para guerra contra EUA?
    Nova 'guerra': EUA lançam alerta para cidadãos que vão viajar para a China
    Tags:
    disputa marítima, relações bilaterais, diplomacia, conflito, guerra, Exército Popular de Libertação (ELP), He Lei, Zhang Junshe, Donald Trump, Xi Jinping, Mar do Sul da China, Estados Unidos, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar