10:01 15 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Soldados norte-americanos no Afeganistão

    3 militares dos EUA morrem em explosão no Afeganistão

    © AFP 2018 / WAKIL KOHSAR
    Ásia e Oceania
    URL curta
    6100

    Três militares estadunidenses morreram e outros três ficaram feridos durante explosão de uma bomba caseira perto da cidade afegã de Ghazni, no oeste do país.

    "Três militares estadunidenses morreram e outros três ficaram feridos durante explosão de uma bomba caseira que detonou no dia 27 de novembro perto da cidade de Ghazni. Um contratante norte-americano também ficou ferido", confirmou a Missão Apoio Resoluto da OTAN em um comunicado.

    De acordo com as informações divulgadas, "os soldados feridos já foram evacuados e receberam a assistência médica".

    Até o momento, nenhum grupo terrorista assumiu a responsabilidade pelo ataque.

    A explosão ocorreu um dia depois de 22 policiais locais terem sido assassinados em um atentado terrorista contra um comboio de segurança no oeste do Afeganistão.

    Anteriormente, a Missão Apoio Resoluto (responsável pelo treinamento, assessoria e assistência e conduzida pela OTAN) informou que um soldado norte-americano morreu no dia 24 de novembro durante ações de combate no território afegão.

    A missão Apoio Resoluto da OTAN no Afeganistão teve início em 2015 e inclui mais de 13 mil militares que treinam e assessoram as forças de segurança afegãs no combate a terroristas, em primeiro lugar ao Talibã (proibido na Rússia).

    O Afeganistão está há muito tempo em estado de turbulência, com o governo combatendo vários grupos terroristas.

    Mais:

    Cálculos mostram perdas impressionantes das forças dos EUA no Afeganistão e Iraque
    Onze militantes do Daesh se rendem às autoridades no Afeganistão
    Daesh quer transformar Afeganistão em seu posto avançado na Ásia Central, diz Lavrov
    Soldado americano é morto em 'aparente ataque interno' no Afeganistão, afirma OTAN
    Tags:
    mortos, militares, explosão, EUA, Afeganistão
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik