08:54 14 Novembro 2018
Ouvir Rádio
    O secretário de Defesa dos EUA, Jim Mattis e o ministro da Defesa da China, Wei Fenghe juntos durante uma cerimônia de boas-vindas no Edifício Bayi, em Pequim.

    Pequim defenderá seu território custe o que custar, afirma ministro da Defesa chinês

    © AP Photo / Mark Schiefelbein
    Ásia e Oceania
    URL curta
    12332

    O ministro da Defesa da China, Wei Fenghe, afirmou durante o encontro com o secretário de Defesa dos EUA, James Mattis, que o país está pronto para defender seu território a qualquer custo.

    O encontro ocorreu nesta sexta-feira [9] durante o segundo Diálogo Diplomático e de Segurança entre China e EUA, em Washington. Além do ministro da Defesa chinês e do secretário de Defesa americano, estiveram presentes o diretor do escritório de Relações Externas do Partido Comunista chinês, Yang Jiechi, e o secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo.

    Durante o encontro foram discutidos problemas como Taiwan, considerado como um assunto sensível para as relações bilaterais entre EUA e China, além da situação no mar da China Meridional e na península da Coreia.

    Acontece que os EUA teriam enviado armas para Taiwan, gerando protestos por parte dos chineses, que advertiram que o gigante asiático tomará todas as medidas necessárias caso haja uma tentativa para separar Taiwan.

    "As Forças Armadas da China são decididamente contra qualquer ação que pretenda dividir o país, e não se importarão de pagar qualquer preço para defender a soberania, a segurança e a integridade territorial", afirmou o ministro Wei.

    Em 1949, ao final da guerra civil, os comunistas chegaram ao poder em Pequim, enquanto os nacionalistas, derrotados, refugiaram-se em Taiwan. Entretanto, comunistas e nacionalistas consideram como uma "obrigação" a reunificação entre os dois territórios, porém, não concordam em relação aos termos que deverão seguir.

    Sendo assim, Pequim considera a ilha como sendo uma província rebelde destinada a se reunir ao restante território chinês. No momento, Taiwan exibe uma pujança econômica alimentada pela presença americana na Ásia durante a Guerra Fria e por isso se considera independente.

    A disputa entre os dois territórios já dura mais de meio século e, segundo a história, a paz entre os dois será um complexo enigma.

    Mais:

    Dragão asiático se instalando na América Latina: como China conquista economia argentina?
    Marinha de Taiwan comissiona 2 navios de guerra feitos nos EUA em meio a tensões com China
    Impérios contra-atacam: Rússia, Índia e China abandonam o dólar
    Tags:
    diálogo, diplomacia, segurança, disputa territorial, disputa, Wei Fenghe, James Mattis
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik