01:56 15 Novembro 2018
Ouvir Rádio
    Navios chineses durante exercícios navais no mar da China Oriental (foto de arquivo)

    China deve ficar atenta com plano de aliança militar dos EUA com Japão, diz especialista

    © REUTERS / China Daily
    Ásia e Oceania
    URL curta
    315

    China e Japão estariam buscando reduzir as desavenças enquanto a disputa pelas ilhas não é resolvida, afirma o especialista chinês Da Zhigang.

    Da Zhigang, diretor do Instituto do Nordeste da Ásia da Academia de Ciências Sociais na província de Heilongjiang, em entrevista à Sputnik China disse acreditar que essa seria a proposta mais sensata a ser tomada, entretanto, enquanto Pequim e Tóquio estão se esforçando para reestabelecer as relações bilaterais, Washington está se esforçando para formar uma aliança militar com os japoneses sob o pretexto de conter a China na região.

    Segundo Da Zhigang, "EUA e Japão estão desenvolvendo um plano de ação conjunto contra um inimigo simbólico, os pescadores chineses armados". Além disso, ele observou que "a área em que o Japão planeja fornecer segurança, envolve a zona territorial disputada com a China. O Japão diversifica a cooperação de segurança com outros países e está procurando aprofundar um entendimento mútuo, criar mecanismos para uma cooperação compreensiva com a China, enquanto, ao mesmo tempo, está atento sobre a cooperação com EUA e Europa".

    A China estaria preocupada com as ações entre EUA e Japão, já que uma eventual aliança militar estaria sendo tratada. Já o especialista espera que a política japonesa pense em resolver os assuntos pendentes com a China diplomaticamente para atingir laços amistosos e paz, não apenas no Leste e Nordeste da Ásia, mas em todo o mundo.

    Para que isso aconteça, o líder chinês, Xi Jinping, pretende fazer uma visita oficial ao Japão durante a reunião do G20 que será realizada em Osaka, com data prevista para 28 e 29 de junho de 2019.

    Ambos os países possuem uma boa relação econômica, entretanto, isso poderia ser afetado com as disputas territoriais entre os dois gigantes asiáticos e é por isso que eles devem chegar a um consenso. O processo não será rápido, mas deve ser iniciado para que cheguem a um acordo de estabilização econômica e de segurança.

    Recentemente, o presidente chinês, Xi Jinping, e o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, anunciaram estar prontos para buscar "uma nova era" entre os dois países. Porém, segundo a agência de notícias Kyodo News, especialistas norte-americanos aconselharam a criação de uma "força tarefa conjunta" entre o Pentágono e as forças de defesa japonesa, contra a China.

    Com isso, acredita-se que EUA e Japão possuam planos militares para conter uma potencial ameaça de Pequim sobre as ilhas disputadas.

    O Japão alega que ocupa as ilhas desde 1895. Mas os chineses ressaltam que, nos mapas japoneses de 1783 e 1785, as Diaoyu são marcadas como território chinês. Depois da 2ª Guerra Mundial, as ilhas eram controladas pelos EUA, mas foram transferidas para o Japão em 1972, por isso Taiwan e a China continental afirmam que o Japão detém as ilhas de forma ilegal.

    Mais:

    Japão e EUA se preparam para proteger ilhas disputadas em caso de invasão chinesa
    Bombardeiros americanos B-52 sobrevoam ilhas disputadas no mar do Sul da China
    Japão ordena produção de nova arma para proteger ilhas disputadas da China
    Tags:
    segurança, economia, aliança militar, disputa territorial, Japão, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik