00:35 17 Novembro 2018
Ouvir Rádio
    A SCO ratificou na sexta-feira (10) uma resolução sobre o início dos procedimentos de expansão do grupo, abrindo a possibilidade de adesão plena da Índia e do Paquistão ao bloco

    Inimigos na Terra, Paquistão e Índia levam disputa agora para o espaço

    © AP Photo / CHANNI ANAND
    Ásia e Oceania
    URL curta
    213

    O Paquistão está movendo sua concorrência com a Índia para um novo campo, uma vez que pretende enviar um ser humano ao espaço com a ajuda da China no ano exato em que a Índia prometeu fazer o mesmo em colaboração com a Rússia.

    O Ministério da Informação do Paquistão anunciou na última quinta-feira que o país pretende realizar sua primeira missão espacial em 2022, com o primeiro-ministro Imran Khan já tendo aprovado o plano em uma reunião do gabinete federal.

    O prazo proposto é o mesmo em que o primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, espera lançar a primeira missão tripulada do país ao espaço, que será realizada em colaboração com a Rússia.

    "Resolvemos que, até 2022, quando a Índia comemorar 75 anos de independência ou talvez até antes disso, certamente alguns de nossos meninos e meninas desfraldarão a [bandeira] tricolor no espaço", declarou Modi durante um discurso no Dia da Independência em 15 de agosto.

    O plano do Paquistão significa que os 2 países, que estão em conflito há 75 anos, estão oficialmente batalhando para ser a quarta nação no espaço.

    De acordo com o canal de notícias indiano NDTV, um acordo entre a Comissão de Pesquisa do Espaço do Paquistão e Atmosfera Superior (SUPARCO) e uma empresa chinesa já foi assinado.

    O acerto vem antes da primeira visita de Khan à China em 3 de novembro, quando ele manterá conversações com o presidente chinês Xi Jinping em Pequim, informou a mídia local.

    Histórico conturbado

    A Índia lançou sua primeira sonda lunar há uma década, ao mesmo tempo em que guiou com sucesso uma espaçonave em órbita de Marte em 2014.

    O novo campo de batalha surgiu em meio a novas tensões entre os 2 países vizinhos, quando os últimos esforços para manter conversações para garantir a paz e a estabilidade na região fracassaram novamente.

    O premiê Khan convidou a Índia a realizar conversações de paz à margem da 73a Assembleia-Geral da ONU em Nova York no mês passado.

    No entanto, depois de inicialmente concordar com isso, a Índia recuou no último minuto, alegando que qualquer diálogo seria "sem sentido", dado o assassinato "brutal" de 3 de seus policiais na região da Caxemira nas mãos de militantes paquistaneses. Além disso, culpou o Paquistão por "glorificar os terroristas".

    Khan respondeu dizendo que a resposta da Índia era "negativa", e que a liderança em Nova Déli deveria "evitar a arrogância" para permitir as negociações de paz.

    Mais:

    Resposta aos S-400 na Índia? Paquistão considera compra de drones chineses
    Aliado? EUA promete cancelar ajuda de US$ 300 milhões ao Paquistão
    Novo governo do Paquistão promete buscar paz com Índia e Afeganistão
    Tags:
    astronauta, ciência, tecnologia, inimigos, guerra, Comissão de Pesquisa do Espaço do Paquistão e Atmosfera Superior (SUPARCO), Imran Khan, Narendra Modi, Espaço, Marte, Rússia, China, Índia, Paquistão
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik