23:09 10 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Milhares de paquistaneses querem que mulher cristã seja executada

    Paquistaneses vão às ruas para exigir a morte de cristã por blasfêmia

    © AP Photo / K.M. Chaudary
    Ásia e Oceania
    URL curta
    10118

    Milhares de manifestantes foram às ruas no Paquistão pedindo que uma mulher cristã acusada de insultar o Islã seja morta. Asia Bibi se tornaria a primeira pessoa executada por blasfêmia se seu apelo falhar.

    A cidade paquistanesa de Lahore foi o centro dos protestos de sexta-feira, organizados pelo partido anti-blasfêmia Tehreek-e-Labaik Pakistan (TLP). Manifestações também aconteceram em várias outras cidades do país, incluindo Karachi e Rawalpindi.

    Os protestos ocorreram depois que a Suprema Corte do Paquistão ouviu o apelo final de Bibi, uma trabalhadora cristã acusada de blasfêmia contra o profeta Maomé, em 2009, por mulheres muçulmanas com quem ela trabalhava em um campo.

    De acordo com a autobiografia de Bibi, "Blasfêmia: uma memória: sentenciado à morte por um copo de água", o incidente começou quando ela foi buscar uma xícara de água de um poço durante um dia quente de colheita de frutas.

    Quando uma mulher muçulmana ao lado a viu fazendo isso, ela gritou: "Não beba essa água, é haram (proibido)!" Ela então se virou para as outras mulheres no campo, dizendo-lhes que Bibi havia sujado a água no poço bebendo do copo delas.

    "Agora a água não está clara e não podemos beber! Por causa dela!", disse a mulher. Várias mulheres chamaram Bibi de "cristã imunda" e lhe disseram para se converter ao islamismo.

    "Eu não vou converter. Eu acredito na minha religião e em Jesus Cristo, que morreu na cruz pelos pecados da humanidade. O que seu profeta Maomé fez para salvar a humanidade? E por que eu deveria ser convertido em você?", declarou Bibi.

    Nesse momento, uma mulher cuspiu nela enquanto outra a empurrava. Dias depois, ela foi acusada de blasfêmia.

    Os protestos de sexta-feira ocorreram apesar do tribunal ter dito que havia chegado a uma decisão em uma audiência na segunda-feira, mas que não seria liberada imediatamente por "razões para serem registradas mais tarde".

     

    A Corte também informou que havia decidido em uma petição que colocaria Bibi em uma lista de exclusão aérea se liberada, mas também não publicou essa sentença.

    O caso de Bibi levou a pedidos internacionais para sua libertação, com o Papa Bento XVI se juntando às chamadas em 2010. O Papa Francisco se reuniu com a filha de Bibi em 2015.

    Embora a lei do Paquistão leve a acusação de blasfêmia muito a sério e as pessoas tenham sido condenadas à morte, ninguém jamais foi realmente executado.

    Mais:

    Resposta aos S-400 na Índia? Paquistão considera compra de drones chineses
    Paquistão convoca diplomata indiano após morte de aldeão na Caxemira
    Aliado? EUA promete cancelar ajuda de US$ 300 milhões ao Paquistão
    Tags:
    cristianismo, islã, intolerância, religião, blasfêmia, execução, Papa Bento XVI, Papa Francisco, Asia Bibi, Paquistão
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik