18:09 14 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Líder sul-coreano Moon Jae-in e presidente norte-coreano, Kim Jong-un, posam para fotos com a declaração conjunta em Pyongyang, na Coreia do Norte, em 19 de setembro de 2018

    Coreia do Norte quer abolir todas as armas nucleares e fim da guerra, afirma Moon

    © REUTERS / Pyeongyang Press Corps/
    Ásia e Oceania
    URL curta
    351

    O líder norte-coreano Kim Jong-un pretende abolir todas as armas nucleares, materiais e instalações para conseguir a desnuclearização "completa", disse o presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, que realizou sua terceira cúpula com Kim no mês passado.

    Kim e o presidente dos EUA, Donald Trump, prometeram trabalhar para a desnuclearização em sua cúpula de junho em Singapura, mas o acordo foi curto em detalhes. Negociações têm feito pouco progresso desde então, com o Norte recusando-se a declarar suas armas e instalações nucleares ou concordar com um cronograma concreto.

    Moon enfatizou a determinação de Kim de abandonar os programas nucleares e de mísseis, que o Norte perseguiu desafiando as resoluções do Conselho de Segurança da ONU e se concentrando na economia se a segurança do regime for garantida.

    "Por completa desnuclearização, ele pretendia começar com testes nucleares e de mísseis, e então abolir as instalações que produzem as armas nucleares e desenvolver os mísseis e todas as armas e materiais nucleares existentes", destacou Moon.

    Após a sua terceira cúpula em Pyongyang, Moon disse que o Norte estava pronto para convidar especialistas internacionais para assistir ao desmantelamento de um importante local de mísseis e que fecharia o complexo nuclear de Yongbyon se Washington adotasse ações recíprocas.

    As ações podem incluir o fim formal da Guerra da Coreia (1950-53), a abertura de um escritório de ligação dos EUA na Coreia do Norte, a ajuda humanitária e a troca de especialistas em economia, disse Moon.

    A reclusa Coreia do Norte e o Sul democrático e rico estão tecnicamente ainda em guerra porque o conflito terminou em uma trégua, não em um tratado de paz. E quando o Norte fizer progressos substanciais na desnuclearização, uma flexibilização gradual das sanções econômicas em Pyongyang deve ser "seriamente considerada", disse Moon.

    "Acabar com a guerra é uma espécie de declaração política para acabar com o duradouro relacionamento hostil entre os Estados Unidos e a Coreia do Norte, e isso iniciaria as negociações de paz dependendo do processo de desnuclearização", comentou.

    "Há consenso entre a Coreia do Sul e os Estados Unidos de que é desejável fazer a declaração de fim de guerra o mais cedo possível, então acho que é uma questão de tempo, mas isso definitivamente acontecerá", acrescentou.

    Os Estados Unidos insistem em passos irreversíveis para a desnuclearização primeiro.

    Mais:

    Ativistas sul-coreanos enviam dezenas de balões com propaganda para Coreia do Norte
    Diplomatas de Rússia, China e Coreia do Norte se reúnem em Moscou na próxima semana
    Sul-coreanos protestam em Washington contra acordo de paz com a Coreia do Norte
    Tags:
    desnuclearização, armas nucleares, acordo de paz, guerra da coreia, Donald Trump, Kim Jong-un, Moon Jae-in, Estados Unidos, Coreia do Sul, Coreia do Norte
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik