22:12 16 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Relações sino-russas

    Pequim: EUA não têm direito de interferir na cooperação militar russo-chinesa

    © Sputnik / Sergei Guneev
    Ásia e Oceania
    URL curta
    782

    A cooperação russo-chinesa na área de defesa é uma questão bilateral entre países soberanos, na qual os Estados Unidos não podem se intrometer, disse o porta-voz do ministério da Defesa chinês, Ren Guoqiang, nesta quinta-feira.

    Na semana passada, os Estados Unidos adotaram sanções contra uma importante organização de pesquisa militar chinesa em retaliação à compra de aeronaves e sistemas de defesa aérea S-400 russos.

    "China e Rússia desfrutam das relações de uma parceria estratégica abrangente. Cooperação na área de defesa é algo normal entre dois Estados soberanos", disse Ren aos repórteres, respondendo à pergunta sobre se as sanções americanas poderiam afetar as relações de defesa entre Moscou e Pequim.

    Segundo o porta-voz, essa cooperação visa a proteção dos interesses dos dois países, nos quais "os Estados Unidos não têm o direito de interferir".

    Todos os projetos russo-chineses na área de defesa estão progredindo do modo como foi planejado, acrescentou o porta-voz.

    Tanto a Rússia quanto a China estão sofrendo restrições e sanções dos EUA. Diversas entidades e pessoas físicas russas foram incluidos em lista de sanções após suposta intromissão de Moscou nas eleições dos EUA. China, por outro lado, tem sido alvo de sanções comerciais norte-americanas, incluindo restrições ao investimento e tarifas sobre as importações chinesas.

    Mais:

    Rússia e China podem chegar a US$ 200 bilhões no comércio bilateral
    China aposta na cooperação com Rússia para deixar EUA e sanções para trás
    China ameaça os EUA por sanções após compras militares junto à Rússia
    Eis motivo pelo qual Washington mostra muito mais receio da China do que da Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik