03:05 19 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    A bandeira da República Popular da China e as Estrelas e Listras dos Estados Unidos tremulam pela Avenida da Pensilvânia, perto do Capitólio dos EUA, durante a visita de Estado do presidente chinês, Hu Jintao em 18 de janeiro de 2011 (foto de arquivo).

    China cancela visita do chefe da Marinha aos EUA após sanções de Washington

    © REUTERS / Hyungwon Kang
    Ásia e Oceania
    URL curta
    12180

    No início desta semana, os Estados Unidos adotaram sanções contra funcionários do Ministério da Defesa da China e a exportadora russa de armas, Rosoboronexport, em retaliação aos acordos de compra de aeronaves e de sistemas russos de mísseis S-400 por Pequim.

    O ministro da Defesa da China anunciou no sábado que decidiu cancelar uma visita previamente agendada do chefe da Marinha do país aos Estados Unidos após as sanções impostas por Washington.

    "O lado chinês decidiu cancelar imediatamente a visita do comandante da Marinha, Shen Jinlong, que está participando do 23º Simpósio Internacional sobre Poder Marítimo, e que estava planejando uma visita aos Estados Unidos", informou o comunicado.

    No início do dia, o Ministério das Relações Exteriores da China convocou o embaixador dos Estados Unidos, Terry Branstad, para manifestar seu protesto pela inclusão de funcionários do ministério da Defesa nas listas de sanções dos EUA.

    Após o anúncio das sanções contra os funcionários do governo chinês, Pequim pediu a Washington a suspenção das restrições e ameaçou retaliar.

    Mais:

    Aplicando sanções, EUA fizeram da China seu novo 'inimigo', diz especialista
    China ameaça os EUA por sanções após compras militares junto à Rússia
    China pede que EUA não classifiquem veículos chineses como 'agentes estrangeiros'
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik