04:10 19 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    O então presidente russo, Dmitry Medvedev, durante cerimônia no memorial de Dalian, na China, que homenageia soldados soviéticos que morreram durante a ocupação japonesa do Norte da China.

    Rússia agradece a China por manter memoriais da União Soviética

    © AP Photo / AP Photo/RIA Novosti Kremlin
    Ásia e Oceania
    URL curta
    5272

    O embaixador russo na China, Andrey Denisov, afirmou nesta sexta-feira (31) que a Rússia se sente agradecida pela atenção dos chineses em relação aos memoriais soviéticos no país.

    Mais cedo, o centro cultural russo em Pequim sediou um evento em homenagem ao 73º aniversário da rendição incondicional do Japão ao final da Segunda Guerra Mundial.

    "Eu gostaria de expressar em palavras uma profunda gratidão aos nossos amigos chineses por sua atitude cuidadosa […] com os memoriais militares soviéticos em solo chinês", disse o embaixador.

    Denisov ressaltou que a União Soviética foi o único país que deu à China assistência significativa quando ela estava sob agressão japonesa durante a 2ª Guerra Mundial.

    Ele lembrou que a União Soviética perdeu entre 12 mil e 13 mil soldados durante a operação contra as tropas japoneses no Norte da China, em 1945.

    A União Soviética lançou uma ofensiva de larga escala na região Norte da China, a Manchúria. O ataque foi realizado em 9 de agosto de 1945. O sucesso da operação soviética ao lado dos bombardeios nucleares dos EUA nas cidades de Hiroshima e Nagazaki forçou Tóquio a se render no dia 2 de setembro daquele mesmo ano, colocando assim um fim à guerra.

    Mais:

    Rússia restaura rede de monitoramento da era soviética
    Experiência da reconstrução soviética após II Guerra Mundial pode ser usada na Síria
    Trump poderia ter sido 'recrutado' na União Soviética, escreve mídia
    Astrônomo revela quando sonda espacial soviética cairá na Terra
    'Visite a URSS': como propaganda soviética atraía turistas de outros países
    Tags:
    diplomacia, Segunda Guerra Mundial, Andrey Denisov, União Soviética, Rússia, Japão, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik