20:06 21 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Liaoning, o único porta-aviões da China, navegando durante exercícios militares no Pacífico

    Ex-chefe de inteligência dos EUA sugere a Taiwan atacar porta-aviões chinês

    © AFP 2018 / STR
    Ásia e Oceania
    URL curta
    1337

    Se a China o porta-aviões Liaoning fizer uma viagem em torno de Taiwan, os líderes em Taipei deveriam pensar em responder com um ataque simulado à embarca~]ap, de acordo com o ex-diretor de inteligência nacional dos EUA.

    Se o porta-aviões navegar por Taiwan, "as forças taiwanesas devem aproveitar sua presença para realizar ataques simulados contra a Liaoning, aumentando sua própria prontidão e demonstrando a realidade de que a Liaoning é vulnerável sob condições de tempo de guerra", escreveu o almirante da Marinha dos EUA, Dennis Blair em um post de 22 de agosto para a Sasakawa Peace Foundation USA.

    Blair foi o terceiro diretor de inteligência nacional do ex-presidente Barack Obama. Ele serviu no posto antes de janeiro de 2009 até maio de 2010, quando renunciou em protesto contra as dificuldades burocráticas dentro da Casa Branca.

    O Liaoning, da Marinha do Exército de Libertação do Povo, viajou por Taiwan em março e no outono passado, disseram autoridades taiwanesas na época.

    Voos e missões marítimas da China perto do Japão e de Taiwan não são ilegais. Quando ameaças percebidas são registradas, as aeronaves japonesas ou taiwanesas geralmente se mobilizam, se reúnem com as aeronaves ou navios chineses e escoltam-nas através de suas Zonas Econômicas Exclusivas, Zonas de Identificação de Defesa Aérea ou águas territoriais e espaço aéreo.

    O ex-assessor presidencial disse que as respostas japonesas e taiwanesas proporcionam ao ELP uma oportunidade de obter informações de inteligência sobre as "capacidades de vigilância e reação das duas nações, insights que podem ser usados ​​para a vantagem do ELP em operações de combate".

    Embora Washington não esteja interessado em ver o degelo de relações entre Japão e China, o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, realizou uma esperada visita à China em maio. Os dois lados concordaram em melhorar as relações comerciais e financeiras e há cerca de uma semana os governos dos dois países estavam considerando a retomada dos swaps cambiais.

    Em relação a Taiwan, há muito tempo Pequim considera a administração da ilha como parte do destino político da China. Quando surgiram relatos em julho de que uma contingência de fuzileiros navais dos EUA poderia estar estacionada na nova embaixada dos EUA em Taiwan, um editorial do Global Times ventilou a possibilidade de a China lançar uma invasão total em retaliação.

    Tags:
    Liaoning, Exército de Libertação do Povo, Global Times, Sasakawa Peace Foundation USA, Marinha dos EUA, Shinzo Abe, Dennis Blair, Washington, Pequim, Japão, China, Taiwan
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik