10:42 17 Novembro 2018
Ouvir Rádio
    Bandeira da China em frente a um prédio em Xangai

    China pode provocar falta de smartfones no mundo todo

    © Sputnik / Alexander Vilf
    Ásia e Oceania
    URL curta
    8294

    A resposta da China às sanções dos Estados Unidos pode incluir altas tarifas sobre as importações de alta tecnologia dos EUA, incluindo equipamentos industriais, aviões, e etc. Isso, por sua vez, afetaria severamente o resto do mundo, alertou o The New York Times.

    Há outra medida que pode ser igualmente dolorosa não apenas para a economia dos EUA, mas também para a indústria eletrônica global como um todo.

    Metais de terras raras são indispensáveis ​​na produção de telas de smartphones, placas-mãe e outros eletrônicos de alta tecnologia. As ligas metálicas raras são usadas em uma ampla gama de aplicações, desde bicicletas a aviões de guerra, lasers e lâmpadas elétricas que economizam energia.

    A maioria desses metais é encontrada na China, onde 105.000 toneladas foram extraídas no ano passado, em comparação com apenas 20.000 toneladas escavadas na Austrália, que é o segundo maior produtor mundial de metais raros.

    O Japão usa mais de 20 mil toneladas de metais raros por ano, quase tanto quanto os Estados Unidos e especialistas prevêem um aumento constante na demanda.

    Mesmo que o Japão afirme ter encontrado enormes depósitos de metais raros sob o Oceano Pacífico, a produção ainda não começou, então o mundo continua dependente da China.

    Até agora, os chineses ambientalmente conscientes têm sido cautelosos em aumentar sua produção de metais de terras raras e não têm usado suas enormes reservas desse recurso altamente valorizado como um meio de pressão sobre o resto do mundo, disse Chen Fengying, um especialista em relações econômicas internacionais no Instituto de Relações Internacionais da China à Sputnik.

    "A China está conservando seus recursos minerais com a ajuda de restrições impostas à produção poluidora de metais raros. Quando a China introduziu cotas na exportação de metais raros em 2012, os EUA, a UE e o Japão apresentaram uma queixa à Organização Mundial do Comércio. Mesmo que a OMC tenha pressionado a China sobre a violação das leis de comércio internacional, a organização ainda reconhece a necessidade das medidas de proteção da natureza usadas por Pequim", disse ele.

    A propósito, os EUA não foram cuidadosos o suficiente para colocar metais raros em sua última lista de US $ 200 bilhões em mercadorias chinesas que estarão sujeitas a 25% de tarifas de importação.

    A maioria dos especialistas concorda que, ao fazer isso, Washington deu um tiro no pé, porque os consumidores americanos comuns serão os primeiros a sentir a pressão de aumentar os preços dos smartphones e de outros aparelhos eletrônicos que contam com metais raros.

    Já a China, que produziu quase 80% da produção global de metais raros, dificilmente sofrerá com as tarifas dos EUA.

    Enquanto isso, as gigantes tecnológicas globais estão temendo as consequências que a possível decisão da China de limitar a exportação de metais raros podere ter em suas linhas de fornecimento de materiais usados ​​na produção de smartphones.

    Mais:

    China qualifica orçamento militar dos EUA como interferência em seus assuntos internos
    Economia russa colhe frutos da guerra comercial entre EUA e China
    Chegou a vez do petróleo: China se recusa a comprar hidrocarbonetos dos EUA
    O que dará um yuan fraco à China na guerra comercial com EUA?
    EUA estão preocupados com o poder da China na América Latina
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik