20:26 21 Agosto 2018
Ouvir Rádio
    Bandeira americana e chinesa

    China teria se oposto à exigência dos EUA quanto ao petróleo iraniano

    © AFP 2018 / Wang Zhao
    Ásia e Oceania
    URL curta
    13382

    Segundo a Bloomberg, a China respondeu por 35% das exportações de petróleo iranianas.

    As autoridades norte-americanas não conseguiram fazer com que a China reduzisse a importação de petróleo iraniano, informou a Bloomberg, referindo-se às autoridades envolvidas nas negociações.

    Bloomberg observa que os negociadores americanos estão visitando as capitais de vários países para discutir a questão de suspensão da importação de petróleo do Irã até novembro, quando as sanções americanas contra Teerã entrarão novamente em vigor. De acordo com o porta-voz do Departamento de Estado norte-americano, uma dessas visitas à China foi recentemente realizada pelo subsecretário de Estado de Recursos Energéticos, Francis Fannon.

    Em 8 de maio, o presidente Donald Trump anunciou a saída de Washington do acordo nuclear iraniano e restauração de todas as sanções, incluindo sanções secundárias contra outros países que realizam negócios com o Irã. Mais tarde, o Departamento de Estado disse que Washington tentaria persuadir os aliados a pararem completamente de comprar petróleo iraniano até o início de novembro.

    A China, maior compradora de petróleo iraniano, no início de julho deixou claro que não responderia a esse chamado de Trump. No mesmo mês, Pequim anunciou um aumento de 26% no volume de importações de petróleo. Segundo a Bloomberg, a China respondeu por 35% das exportações de petróleo iranianas.

    Mais:

    'Feito refém': Trump é enganado por sauditas sobre sanções contra Irã
    Irã fechará estreito de Ormuz se EUA impedirem exportações de petróleo, avisa exército
    Irã usará criptomoedas para exportar petróleo sem recorrer ao dólar
    Tags:
    importação, petróleo, Irã, EUA, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik