15:54 21 Novembro 2018
Ouvir Rádio
    Navio da Marinha chinesa Qiandaohu e fragata Yiyang

    Manobras da Marinha chinesa são 'advertência às forças separatistas de Taiwan'

    © AFP 2018 / Adam Warzawa
    Ásia e Oceania
    URL curta
    374

    As manobras navais que a Marinha de Guerra chinesa realizará no mar da China Oriental representam um alerta para as forças separatistas de Taiwan, de acordo com especialistas da nação asiática.

    "O principal objetivo dessas manobras é enviar uma séria advertência às forças separatistas de Taiwan. o Exército chinês frequentemente realiza exercícios que incluem a prática de manobras para invadir a ilha", disse o especialista militar Sun Zhongping.

    O jornal chinês Global Times informou, citando opiniões de analistas militares, que esses exercícios são considerados uma advertência às forças separatistas da ilha.

    De acordo com outro especialista militar chinês que preferiu se manter anônimo, se um conflito armado começar no futuro, o mar da China Oriental será o principal palco de combate para resolver a questão de Taiwan e as reivindicações em torno de outras ilhas disputadas.

    Por sua vez, o Ministério da Defesa de Taiwan afirmou em um comunicado que observa atentamente as manobras chinesas perto da ilha, embora descrevesse os exercícios como habituais e não os considerando um perigo para a segurança de Taiwan.

    De 18 a 23 de julho, a Marinha chinesa prevê efetuar manobras navais nas zonas do mar da China Oriental próximas à província de Zhejiang, segundo diz o comunicado emitido pela Direção local de Segurança Marítima.

    Até agora não foi informado quais navios exatamente vão participar das manobras e qual será seu número preciso. Ademais, não há informação nenhuma se o porta-aviões chinês Liaoning, quase sempre envolvido nesses tipos treinamentos, participará dos treinamentos.

    A Direção publicou as coordenadas exatas da área em que os exercícios serão realizados.

    Os navios que não estão envolvidos nessas manobras são estritamente proibidos de navegar ou entrar na área indicada.

    As relações oficiais entre as autoridades da República Popular da China e a província da ilha de Taiwan foram interrompidas em 1949, quando o Kuomintang (Partido Nacionalista Chinês), liderado por Chiang Kai-shek, teve que se deslocar para a ilha depois de sua derrota na guerra civil contra o Partido Comunista do país.

    O contato entre os dois territórios chineses apenas foi restabelecido a nível empresarial e informal nos fins dos anos 80 sem existirem relações oficiais entre as autoridades.

    Pequim considera Taiwan como sua província rebelde e se recusa a ter relações diplomáticas com qualquer país que as mantenha com Taipé.

    Mais:

    Em meio à tensão com Pequim, navios de guerra dos EUA passam por estreito de Taiwan
    Presidente de Taiwan apela ao mundo para 'conter expansão' da China
    China critica os EUA por 'nova embaixada de fato' de US$ 256 milhões em Taiwan
    Tags:
    manobras navais, advertência, disputa territorial, Mar da China Oriental, Taiwan, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik