06:01 20 Julho 2018
Ouvir Rádio
    Kim Jong-un observa míssil balístico de longo alcance Hwasong-12 (foto de arquivo)

    Coreia do Norte estaria ampliando fábrica de produção de mísseis balísticos

    © REUTERS / KCNA
    Ásia e Oceania
    URL curta
    7142

    A Coreia do Norte está completando a ampliação de empresa de mísseis balísticos de combustível sólido, que podem ser utilizados para realizar ataques contra instalações militares dos EUA, escreveu a edição The Wall Street Journal, citando resultados baseados em imagens obtidas via satélite.

    As imagens fornecidas pela empresa Planet Labs Inc. foram analisadas por especialistas do Instituto Middlebury de Estudos Internacionais de Monterey (EUA). 

    Trata-se de uma instalação situada na área da cidade norte-coreana de Hamhung.

    De acordo com a edição, a fábrica é um centro de produção de mísseis balísticos, capazes de atacar alvos militares nos EUA e na Ásia, que estão sendo produzidos praticamente sem preparação, bem como sem ogivas, que Pyongyang poderia utilizar em mísseis de longo alcance aptos a atingir a parte continental dos EUA.

    Segundo a mídia, a ampliação da instalação é "mais uma evidência de que Pyongyang continua desenvolvendo programas de produção de armas mesmo quando os EUA tentam forçar o país a abandoná-los", acrescentando que "a ampliação da infraestrutura de produção dos mísseis norte-coreanos de combustível sólido, talvez, pressuponha que Kim Jong-un não pretende a abandonar programas nucleares e de mísseis", afirmou David Schmerler, um dos investigadores do estudo, citado pela edição.

    As imagens mostram que as obras externas da fábrica coincidiram temporariamente com a cúpula realizada no dia 12 de junho entre o presidente dos EUA e o líder norte-coreano em Singapura.

    O jornal citou também um representante do Departamento de Estado que afirmou que "os EUA continuam atentamente vigiando a Coreia do Norte" à medida que o diálogo entre as duas partes está avançando.

    Segundo o jornal, os pesquisadores estimam que, além da fábrica mencionada, haja mais duas instalações situadas na área, onde mísseis balísticos também são produzidos.

    Schmerler indicou que uma das imagens mostra que norte-coreanos haviam assegurado acesso a uma das instalações, enquanto ao lado de outra foram realizados trabalhos de aterro com explosivos, o que significa que "existem premissas para uma futura ampliação".

    Anteriormente, o site 38 North, especializado em estudos sobre a Coreia do Norte, relatou que as imagens de satélites mostraram que o país está ativamente desenvolvendo a infraestrutura nas proximidades do Centro Nuclear Nyongbyon.

    Os especialistas alegam que essas obras não devem estar ligadas às intenções de Pyongyang de avançar rumo à desnuclearização, uma vez que a instalação provavelmente continuará operando em regime normal enquanto aguarda as ordens do governo.

    A cúpula histórica entre os líderes dos EUA e da Coreia do Norte se deu em 12 de junho, resultando na assinatura de um documento conjunto no qual as partes confirmaram sua disposição em estabelecer novas relações bilaterais.

    O líder norte-coreano reafirmou seu compromisso com a desnuclearização total da península coreana, enquanto o presidente dos EUA prometeu a Pyongyang garantias de segurança.

    Mais:

    Japão faz denúncia à ONU com acusações contra China e Coreia do Norte
    EUA esperam que Coreia do Norte devolva restos mortais de norte-americanos em breve
    'Ameaça nuclear': Trump prolonga as sanções contra a Coreia do Norte por mais 1 ano
    Tags:
    míssil balístico, Coreia do Norte
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik