07:32 22 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    General aposentado da Infantaria da Marinha e Secretário de Defesa norte-americano, James Mattis

    Em meio à tensão, Jim Mattis embarca rumo à China

    © REUTERS / Mike Blake
    Ásia e Oceania
    URL curta
    425

    O secretário de Defesa dos Estados Unidos, Jim Mattis, que acusou a China de "intimidação e coerção" no mar da China Meridional, está visitando Pequim nesta semana, enquanto os países lutam pela venda de armas dos EUA ao Taiwan e a expansão bélica chinesa.

    Mattis será o primeiro secretário de Defesa do governo do presidente Donald Trump a visitar a China. Sua viagem destaca a necessidade de um diálogo entre Washington e Pequim, apesar da crescente suspeita entre ambos os lados. 

    A missão de Mattis chega em um momento difícil, já que o governo Trump deve começar a taxar US$ 34 bilhões em bens chineses em duas semanas, enquanto Pequim promete retaliar com suas próprias tarifas sobre os produtos norte-americanos.

    É provável que os EUA dependam da ajuda da China para conseguir que a Coreia do Norte cumpra as promessas de desnuclearização feitas em uma cúpula em Cingapura entre Trump e o líder norte-coreano Kim Jong-Un.

    Mais:

    China mostra 'por engano' uma foto do que pode ser seu novo porta-aviões (FOTO)
    Chefe do Pentágono terá sucesso em sua próxima visita à China? Analistas avaliam
    Excursões, almoços e aplausos: saiba tudo sobre passatempo de Kim Jong-un na China
    Kim Jong-un volta à China e é exaltado pelo 'amigo de todas as horas' Xi Jinping
    Moscou faz ensaio geral antes que China use sua 'arma nuclear financeira' contra EUA?
    Análise: na disputa comercial com EUA, China ainda não recorreu a seu trunfo principal
    'Fim do consenso': China acusa EUA de chantagem em guerra comercial
    Tags:
    James Mattis, Estados Unidos, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik