17:50 22 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Líder norte-coreano Kim Jong-un e seu homólogo sul-coreano Moon Jae-in atravessam a linha que demarca a zona desmilitarizada na aldeia fronteiriça de Panmunjom, 27 de abril de 2018

    Analista indica quando se pode esperar fim definitivo da Guerra da Coreia

    © AP Photo / Pool de imprensa da Cúpula das Coreias
    Ásia e Oceania
    URL curta
    120

    As autoridades da Coreia do Sul afirmaram que o país pretende alcançar o fim formal do estado de guerra com a Coreia do Norte, que se mantém desde o conflito de 1950-1953. Especialista Vladimir Svedentsov comentou para a Sputnik os planos de Seul.

    Nesta segunda-feira (18), a chefe da diplomacia sul-coreana, Kang Kyung-wha, disse que a Coreia do Sul tem como objetivo neste ano alcançar o fim formal do conflito, segundo comunica a Yonhap. Do ponto de vista formal, as duas Coreias continuam em guerra: as ações militares acabaram com a assinatura apenas de um acordo de armistício.

    Líderes da Coreia do Norte, Kim Jong-un, e da Coreia do Sul, Moon Jae-in, conversando no primeiro encontro na zona desmilitarizada no âmbito das negociações intercoreanas em 27 de abril de 2018
    © AFP 2018 / Assessoria de imprensa da Cúpula das Coreias
    Com a chegada de Moon Jae-in à presidência na Coreia do Sul, as relações entre os dois países começaram a melhorar. Neste ano, já houve duas cúpulas entre os líderes do Norte e do Sul na zona desmilitarizada, em abril e em maio.

    Em 12 de junho, em Singapura decorreu a primeira cúpula da história entre líderes dos EUA e Coreia do Norte, o encontro entre Kim Jong-un e Donald Trump. A cúpula resultou na assinatura de um documento final em que Pyongyang confirmou sua lealdade aos princípios de desnuclearização da península coreana.

    Vladimir Svedentsov, analista do Instituto Russo de Pesquisas Estratégicas, comentou a declaração da chancelaria sul-coreana e faz um prognóstico sobre quando Pyongyang e Seul poderão firmar um acordo de paz.

    "Acho que [o acordo] pode ser assinado após a visita de Moon Jae-in à Coreia do Norte. Segundo fontes sul-coreanas, a visita poderá se realizar já neste outono", disse Svedentsov ao serviço russo da Rádio Sputnik.

    O especialista acredita que para este processo contribuiu o encontro entre Donald Trump e Kim Jong-un, que impulsionou o diálogo intercoreano. "O acordo de paz dará início à aproximação entre o Norte e o Sul", detalhou.

    Porém, para fortalecer os resultados já alcançados e ir em frente com sucesso é preciso envolver outros países no processo de paz, incluindo o grupo P5+1 que negociou o acordo nuclear iraniano, em particular a Rússia, a China e o Japão.

    Mais:

    Piada ou perigo? Trump quer ser adorado nos EUA como Kim é na Coreia do Norte
    EUA e Coreia do Sul decidirão futuro de manobras conjuntas em julho
    Tags:
    acordo de paz, Guerra da Coreia, Ministério das Relações Exteriores da Coreia do Sul, Moon Jae-in, Kim Jong-un, Donald Trump, Japão, China, Rússia, EUA, Coreia do Sul, Coreia do Norte
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik