06:12 17 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Bandeira do Taiwan

    China critica os EUA por 'nova embaixada de fato' de US$ 256 milhões em Taiwan

    © flickr.com/ Flickr
    Ásia e Oceania
    URL curta
    436

    Uma organização não-governamental (ONG), que há décadas é conhecida como a embaixada de fato dos Estados Unidos em Taiwan, abriu um novo escritório em Taipei. A medida foi condenada por Pequim como uma violação gritante de sua política de "uma só China".

    O Instituto Americano de Taiwan (AIT), financiado pelos EUA, revelou sua nova sede na capital de Taiwan nesta terça-feira, em meio à crescente tensão entre os EUA e a China sobre o destino da disputada ilha.

    O enorme complexo de US$ 256 milhões, completo com jardins chineses, ocupa 6,5 hectares e abrigará cerca de 500 funcionários americanos e locais. A instalação ostentosa substitui a antiga base militar da AIT — um prédio militar discreto que abrigou a organização por décadas.

    A fim de estabelecer relações diplomáticas com a China, Washington foi obrigada a reconhecer a política Uma Só China de Pequim, que não reconhece Taiwan como um Estado independente.

    Como resultado, Washington cortou laços diplomáticos com Taipei em 1979, mas continua a agir como um aliado próximo e generoso fornecedor de armas para o país insular. Os Estados Unidos abriram a AIT pouco depois de encerrar laços formais com Taipei — uma solução diplomática que irritou Pequim.

    "Os EUA que enviam autoridades a Taiwan sob qualquer pretexto violam seriamente o princípio 'Uma Só China'", disse Geng Shuang, porta-voz do Ministério de Relações Exteriores da China, durante uma entrevista coletiva.

    "Pedimos aos EUA que respeitem escrupulosamente suas promessas à China sobre a questão de Taiwan, corrijam suas ações erradas e evitem prejudicar as relações China-EUA, paz e estabilidade no Estreito de Taiwan", acrescentou.

    O presidente de Taiwan, Tsai Ing-wen, disse que o novo complexo reafirmou a "relação vital" entre Washington e Taipei.

    "A amizade entre Taiwan e os EUA nunca foi tão promissora. A grande história das relações Taiwan-EUA continua a ser preenchida com os esforços daqueles que um dia ocuparão este edifício", acrescentou Tsai.

    O crescimento dos laços entre Taipei e Washington tem sido um constante ponto de preocupação para a China. No final de 2016, o então presidente eleito Donald Trump levantou as sobrancelhas em Pequim depois de uma breve conversa telefônica com Tsai, que repetidamente chamou Trump para parabenizá-lo por sua vitória presidencial — a primeira comunicação direta entre os EUA e os líderes taiwaneses desde 1979. Durante sua conversa de 10 minutos, Tsai supostamente instou Trump a ajudar Taiwan com "mais participação e contribuições em questões internacionais".

    Pequim é extremamente desconfiada de Tsai, acreditando que a primeira mulher presidente de Taiwan busca independência formal para a ilha. Trump já prometeu honrar a política de Uma Só China, de Pequim, mas as recentes tentativas de Washington de se aproximar de Taiwan minaram a confiança de Pequim em sua promessa.

    Shenyang J-11
    © Foto : US Department of Defense / D. Myles Cullen

    Em março, Trump assinou o Ato de Viagem de Taiwan, que visa aumentar as viagens e visitas "em todos os níveis", incluindo funcionários do Estado e líderes empresariais, tanto nos EUA quanto no lado taiwanês. A lei foi condenada por Pequim como uma violação "grave" do princípio da China Única, bem como uma afronta aos comunicados conjuntos EUA-China.

    Com Trump no comando, Washington bateu cabeça com Pequim em várias questões políticas, econômicas e militares. A disputa em curso sobre o Mar do Sul da China foi agravada pelo plano de Trump de impor tarifas sobre bens chineses de cerca de US$ 50 bilhões, em retaliação ao suposto roubo de segredos comerciais da China.

    Mais:

    Caça F-16 da Força Aérea de Taiwan desaparece durante exercícios
    Marinha da China faz exercícios militares no Estreito de Taiwan
    Por que Su-35 russo pode ser pior pesadelo de Taiwan?
    Tags:
    uma só China, relações bilaterais, embaixada, diplomacia, Instituto Americano de Taiwan (AIT), Tsai Ing-wen, Geng Shuang, Donald Trump, Taipei, Estados Unidos, Taiwan, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik