07:46 11 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Coletiva do presidente estadunidense Donald Trump após as negociações bilaterais com o líder norte-coreano Kim Jong-un, em 12 de junho de 2018, em Singapura

    Apesar do acordo, sanções estadunidenses contra Coreia do Norte continuam em vigor

    © REUTERS / Jonathan Ernst
    Ásia e Oceania
    URL curta
    Cúpula histórica Trump-Kim (33)
    151015

    Ao falar para o pool de jornalistas da Casa Branca após o encontro com o líder norte-coreano, Donald Trump comunicou que as sanções contra Pyongyang não serão levantadas até que o país deixe de possuir as armas nucleares prontas para serem usadas.

    "As sanções serão canceladas quando tivermos a certeza de que eles não têm possibilidade de usar seus armamentos nucleares", explicou.

    O chefe da Casa Branca adiantou que está "ansioso" por este momento. Ao mesmo tempo, ele assegurou aos jornalistas que "não fez nenhumas concessões" ao seu homólogo norte-coreano.

    "Durante algum período de tempo, as sanções contra a Coreia do Norte vão ficar em vigor. Estamos sonhando com um futuro no qual todos os coreanos possam viver juntos em harmonia e suas esperanças renasçam", argumentou.

    Entretanto, o presidente revelou que "suspendeu" as medidas restritivas em relação a 300 novos artigos norte-coreanos para não demonstrar "falta de respeito" ao seu homólogo.

    Contudo, o presidente estadunidense observou que, do ponto de vista tecnológico, o processo de desnuclearização vai demorar bastante.

    "Eu li e assisti bastantes coisas sobre isso. O fim completo e eficiente de desnuclearização leva muito tempo. Isto demora, do ponto de vista técnico, e teremos que esperar por algum período de tempo", explicou.

    Porém, frisou Trump, a parte norte-americana espera que este processo "comece muito em breve".

    Tema:
    Cúpula histórica Trump-Kim (33)

    Mais:

    Putin sobre sanções do Ocidente: 'Ou Rússia será soberana, ou não haverá nenhuma Rússia'
    Putin assina lei sobre sanções de resposta contra EUA e aliados
    Analista explica como sanções dos EUA ao Irã ajudam os negócios da Rússia
    Tags:
    negociações, sanções econômicas, Donald Trump, Kim Jong-un, Coreia do Norte, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik