18:17 19 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Modelo da estação espacial chinesa Tiangong-1 em salão aeroespacial na China

    China traça Rota da Seda... no espaço!

    © AP Photo / Kin Cheung
    Ásia e Oceania
    URL curta
    1141

    A China está se destacando como pioneira na cooperação internacional para a exploração do espaço sideral e visa a liderança nesse setor.

    Assim comentou Aleksandr Zheleznyakov da Academia Russa de Cosmonáutica em entrevista à Sputnik China.

    Shi Zhongjun, representante da China junto à organização internacional da ONU em Viena, disse que "todos os países, independentemente de seu tamanho e nível de desenvolvimento, podem cooperar em condições de igualdade".

    A China planeja lançar ao espaço um módulo básico em 2019, e o funcionamento completo da estação espacial deverá começar em 2022. Segundo o representante, a China está pronta a ajudar outros países no desenvolvimento de tecnologia e construção de potencial espacial.

    Segundo Zheleznyakov, nenhum país nunca convidou todos os membros da ONU para cooperar no espaço.

    "Primeiramente, isso mostra o nível de desenvolvimento tecnológico da China. Ela não apenas está construindo sua estação orbital como também oferece determinadas garantias relativas à qualidade de seus equipamentos", disse.

    Nos últimos anos, diversos países demonstraram interesse em voar para o espaço. Mas a Rússia, Cazaquistão e Emirados Árabes Unidos parecem ser os países mais interessados na iniciativa chinesa. Contudo, países do Sudeste Asiático também têm demonstrado interesse em enviar seus astronautas para o espaço – Vietnã, Malásia, Filipinas, Singapura e Coreia do Sul.

    "Este é um novo passo para o estabelecimento da China como uma poderosa potência espacial", disse Ivan Moiseev, especialista do Instituto de Tecnologia Espacial.

    Ele acrescentou que a China tem desenvolvido com muito sucesso a exploração do espaço. Em particular, o aspecto comercial.

    "Devido a uma série de parâmetros, ela já está à frente da Rússia. Já se tornou uma concorrente",  comentou.

    Atualmente, 80 países possuem seus satélites, dos quais 10 deles podem fazer lançamentos. A proposta da China pode ser interessante principalmente para os países que não estão envolvidos em atividades espaciais, acredita o especialista.  A China tem interesse em cooperar na área cosmonáutica com a América do Sul e a África e, em especial, tem cooperado ativamente com o Brasil. Portanto, se a China tem como objetivo o trabalho conjunto na estação orbital, isso a ajudará a desenvolver cooperação no setor cosmonáutico e econômico.

    Segundo Jiao Weixin, especialista do Instituto de Ciências da Terra e do Espaço de Pequim, a estação espacial chinesa pode ser a única plataforma internacional no espaço sideral depois de 2024 e isso será benéfico para toda a humanidade.

    Mais:

    Poeira lunar mata organismos vivos e ameaça toda a colonização do espaço
    Drone dos EUA é avistado vigiando espaço aéreo de Donbass (FOTOS)
    Avião de guerra chinês viola espaço aéreo sul-coreano e cria tensão com Seul
    Tags:
    tecnologia, espaço, estação espacial, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik