21:04 18 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    O líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, durante um evento em Pyongyang

    Coreia do Norte joga com o público ao ameaçar cancelar cúpula com EUA, diz especialista

    © Sputnik / Ilia Pitalev
    Ásia e Oceania
    URL curta
    651

    Após uma significativa melhora na situação da península coreana, a Coreia do Norte surpreendeu o mundo mais uma vez ao suspender as negociações com Seul, além de ameaçar cancelar a cúpula com os EUA.

    O chefe do setor de países da Ásia Oriental do Centro de Estudos Pós-Soviéticos do Instituto de Economia da Academia de Ciências da Rússia, Georgy Toloraya, disse acreditar que a declaração de Pyongyang sobre o possível cancelamento da cúpula entre os líderes dos EUA e da Coreia do Norte é um jogo diante do público, por isso a possibilidade da cúpula ser realizada se mantém. 

    Foi noticiado anteriormente que a Coreia do Norte suspendeu as conversações com a Coreia do Sul e ameaçou cancelar a reunião com o presidente norte-americano, Donald Trump, por conta dos exercícios militares "Max Thunder", que tiveram início em 11 de maio e devem acontecer até 25 de maio.

    Em 12 de junho, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e o líder norte-coreano, Kim Jong-un, têm uma reunião marcada para discutir as questões da desnuclearização e a recusa da Coreia do Norte em relaçao ao seu programa de mísseis. Antes disso, Trump realizará um encontro com seu colega sul-coreano, Moon Jae-in, em Washington.

    De acordo com Toloraya, ninguém sabe o que está acontecendo no diálogo entre os EUA e a Coreia do Sul, por isso é impossível interpretar corretamente as etapas táticas que a Coreia do Norte está tomando nesse contexto.

    "É possível que os americanos disseram a eles [Pyongyang] algo que eles não gostaram, por isso os norte-coreanos agora estão recuando, aumentando os obstáculos na direção de recusar as negociações", disse ele. 

    O especialista acrescentou que não se sabe sobre o que será acordado entre EUA e Coreia do Norte, mas destaca que "a julgar pela reação do Departamento de Estado, os americanos ainda acreditam que será possível chegar a um acordo".

    "Existe um diálogo, um processo de barganha está em andamento. Suponho que talvez os americanos tenham apresentado condições inaceitáveis para os norte-coreanos. E estes se comportam de tal maneira: parecem estender a mão para a paz e prosperidade, e os americanos com seus exercícicios militares com os os sul-coreanos minam essa perspectiva. É um trabalho em cima do público", acrescenta Toloraya.

    Mais:

    Coreia do Norte está pronta para aderir à proibição de testes nucleares
    Coreia do Norte suspende reunião com Coreia do Sul e ameaça cancelar encontro com Trump
    Assessor de Trump quer levar todas as armas nucleares da Coreia do Norte para os EUA
    Coreia do Norte inicia desmantelamento de seu complexo nuclear
    Coreia do Sul aceita proposta da Coreia do Norte para reunião de alto nível
    EUA terão de garantir que Kim não deixará o poder na Coreia do Norte, diz Pompeo
    Tags:
    desnuclearização, cúpula, Moon Jae-in, Kim Jong-un, Coreia do Sul, Coreia do Norte, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik