16:04 23 Maio 2018
Ouvir Rádio
    Kim Jong-un, líder norte-coreano, durante a reunião com o presidente da Corea do Sul, Moon Jae-in

    EUA terão de garantir que Kim não deixará o poder na Coreia do Norte, diz Pompeo

    © REUTERS / Korea Summit Press Pool
    Ásia e Oceania
    URL curta
    2529

    Os EUA terão que garantir à Coreia do Norte que não tentarão minar o seu líder Kim Jong-un, afirmou o secretário de Estado Mike Pompeo. A afirmação surgiu depois de anos rotulando-o como um ditador e apertando o seu país com fortes sanções econômicas.

    Faltando menos de um mês para as tão esperadas negociações entre o presidente dos EUA, Donald Trump, e o líder da Coreia do Norte em Singapura, o principal diplomata dos EUA indicou que qualquer acordo que abra caminho para uma península coreana livre de armas nucleares incluem certas salvaguardas dos EUA permitindo que Kim permaneça no poder.

    "Teremos que fornecer garantias de segurança, com certeza. Essa foi a troca que está pendente há 25 anos", disse Pompeo ao programa Fox News Sunday. Pompeo estava falando com Chris Wallace, da Fox, alguns dias após retornar aos EUA, depois de seu segundo encontro com Kim, durante o qual eles discutiram detalhes da cúpula do dia 12 de junho.

    As próximas semanas serão saudadas como um monumental sucesso pessoal por Trump, que há apenas alguns meses definiu Kim como "louco" e um"homem-foguete em uma missão suicida", ameaçando-o com "fogo e fúria", além de gabar-se de ter um botão nuclear maior. Agora, a administração Trump está usando as negociações como uma maneira de dizer que é melhor que as anteriores.

    "Nenhum presidente colocou a América em uma posição onde a liderança norte-coreana achasse que isso era realmente possível que os americanos realmente fizessem isso, levaria ao lugar onde a América não estava mais em risco pelo regime norte-coreano", afirmou Pompeo.

    Quanto a Kim ser um "ditador" e "opressor" com um histórico pobre de direitos humanos — aparentemente, a segurança dos EUA parece preferir olhar para o outro lado agora.

    "Olhe, nós teremos que ver como as negociações prosseguem. Mas não se enganem: o interesse dos Estados Unidos aqui está impedindo o risco de que a Coreia do Norte lance uma arma nuclear em Los Angeles ou Denver ou no mesmo lugar em que estamos sentados aqui", comentou Pompeo.

    Se a negociação for um sucesso, a Coreia do Norte poderá ver empresas privadas americanas inundando seu mercado, ajudando a desenvolver sua rede elétrica e fornecendo alimentos "para que eles [norte-coreanos] possam comer carne e ter vidas saudáveis". No entanto, ele descartou a possibilidade de que o dinheiro dos contribuintes dos EUA pudesse estar envolvido no programa.

    Falando sobre a impressão que teve sobre o homem forte norte-coreano durante suas reuniões, Pompeo descreveu Kim como sempre atualizado com a agenda e um negociador adequado.

    "As conversas são profissionais. Ele sabe o que está tentando alcançar para o povo norte-coreano", contou Pompeo, observando que Kim também está vigiando a mídia ocidental e "provavelmente assistirá à entrevista em algum momento".

    Insinuando que as épocas em que uma guerra de palavras se desenrolou entre Trump e Kim foram esquecidas há muito tempo, Pompeo disse que nem ele ou Kim tocaram no comentário de "pequeno homem-foguete" de Trump ou em outras características menos graciosas dadas a Kim pelo líder dos EUA.

    O tom da retórica de Trump em relação a Kim mudou dramaticamente nos últimos meses. Após a reunião de cúpula entre Kim e o presidente sul-coreano Moon Jae-in no final de abril, Trump elogiou o líder da Coreia do Norte, causando muita surpresa.

    Durante uma reunião com o presidente francês, Emmanuel Macron, no mês passado, Trump chamou Kim de "muito aberto e muito honroso".

    Após a promessa da Coreia do Norte de desmantelar seu local de testes nucleares e permitir que jornalistas estrangeiros, incluindo os dos EUA, supervisionassem o processo, Trump agradeceu o que ele chamou de "um gesto muito inteligente e gracioso".

    Mais:

    Coreia do Sul elogia decisão norte-coreana de desativar complexo nuclear
    Último teste nuclear da Coreia do Norte poderia provocar catástrofe ambiental (VÍDEO)
    Chefe do Pentágono e chanceler da Coreia do Sul analisam relações entre Seul e Pyongyang
    Tags:
    relações bilaterais, desnuclearização, acordo de paz, diplomacia, Departamento de Estado dos EUA, Kim Jong-un, Mike Pompeo, Donald Trump, Coreia do Norte, Estados Unidos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik