08:57 21 Julho 2018
Ouvir Rádio
    O porta-voz da chancelaria chinesa, Lu Kang fala durante uma coletiva de imprensa em Pequim, em 13 de julho de 2016

    Guerra comercial: China reafirma críticas e contesta EUA

    © AFP 2018 / NICOLAS ASFOURI
    Ásia e Oceania
    URL curta
    671

    Nesta sexta-feira (30), a China se dirigiu ao governantes dos EUA para que repensem seriamente o avanço do protecionismo nas políticas do país, segundo divulgou a imprensa chinesa.

    "Reiteramos várias vezes que a China não quer uma guerra comercial", o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Lu Kang, durante uma coletiva de imprensa sobre declarações do embaixador dos EUA na China, Terry Branstad. O diplomata teria comentado as retaliações divulgadas pela China sobre as importações de Soja dso EUA.

    "No entanto, se a China for forçada a entrar em guerra, teremos a confiança e a capacidade de lidar com quaisquer desafios", concluiu.

    Lu Kang afirmou que não eram apenas pessoas da indústria agrícola dos EUA que estavam preocupadas com a deterioração em laços comerciais em consequência dos mais recentes movimentos da Casa Branca em direção ao protecionismo. A China espera que o lado norte-americano dê ouvidos ao que dizem os consumidores e os grupos empresariais dos EUA, disse ele.

    Lu disse que uma vez que uma guerra comercial fosse desencadeada, a China decidirá como combatê-la com base em seus próprios interesses.

    Mais:

    China amplia com sucesso seu sistema de navegação global (FOTOS)
    Opinião: China mostra que Coreia do Norte não é país pária
    Histórica visita de Kim Jong-un à China em imagens
    Japão quer explicações da China sobre a visita de Kim Jong-un
    Tags:
    guerra comercial, protecionismo, Casa Branca, Terry Branstad, Lu Kang, Estados Unidos, China, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik