10:49 21 Abril 2018
Ouvir Rádio
    Presidente dos EUA Donald Trump saúda seu homólogo chinês Xi Jinping em Mar-a-Lago, no estado da Flórida, em 6 de abril 2017

    Presidente da China pode ser anfitrião de encontro entre Trump e Kim, diz jornal

    © REUTERS / Carlos Barria
    Ásia e Oceania
    URL curta
    322

    O presidente chinês Xi Jinping pode vir a ser o anfitrião do aguardado encontro entre o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, inicialmente previsto para maio deste ano, segundo um jornal sul-coreano.

    De acordo com artigo publicado pelo The Korea Times, a suposta visita de Kim à China, noticiada na última segunda-feira (e ainda não confirmada por Pequim, Pyongyang, Seul ou Washington), estaria relacionada à cúpula sobre o programa nuclear norte-coreano.

    "Se a China cortar completamente o envio de suprimentos por seis meses a um ano, o Norte se encontrará em uma situação muito difícil — tão forte que seu colapso não pode ser descartado", explicou a fonte ouvida pela publicação, exaltando a importância chinesa.

    Assim, Pequim parece ser o destino em que todos os envolvidos se sentiriam mais confortáveis para a cúpula, sobretudo o líder da Coreia do Norte.

    "Kim Jong-un não se sentiria confortável em nenhum local exceto Pyongyang. Considerando que Trump viria a Pyongyang somente quando ele achar que pode conseguir o resultado que quer, a capital chinesa provavelmente será o lugar", sugeriu a mesma fonte ao Korea Times.

    A publicação afirmou ainda que, seguindo tal lógica, a mesa de negociações teria três assentos, com a Coreia do Sul ficando fora das discussões mais espinhosas, sobretudo no que diz respeito ao programa de armas nucleares de Pyongyang e o seu possível congelamento, em um primeiro momento, e posterior desmantelamento.

    A tendência é que Xi, caso a cúpula ocorra na capital chinesa, defenda o "congelamento pelo congelamento", uma tese já defendida pela China e pela Rússia e que prega a paralisação do programa nuclear norte-coreano, em troca da flexibilização das sanções contra Pyongyang e o fim dos exercícios conjuntos entre Seul e Washington.

    As recentes indicações de John Bolton e Mike Pompeo para os cargos de assessor de segurança e secretário de Estado, respectivamente, mostram que o presidente dos EUA quer indicar que não fará muitas concessões aos norte-coreanos. O desafio será achar um meio-termo do agrado de todos os envolvidos.

    Mais:

    Coreia do Norte faz apelo para EUA adotarem 'atitude séria' para a paz
    Cúpula entre Japão, EUA e Coreia do Norte é possível, diz Shinzo Abe
    Jimmy Carter oferece ajuda a Trump no diálogo com Coreia do Norte
    Tags:
    sanções, diplomacia, arsenal nuclear, desnuclearização, programa nuclear, Moon Jae-in, Xi Jinping, Donald Trump, Kim Jong-un, Estados Unidos, China, Coreia do Sul, Coreia do Norte
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik