11:37 15 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Bombardeiro estratégico russo Tu-95MS

    Japão está preocupado com voo de bombardeiros russos perto de suas fronteiras

    © Sputnik / Anton Denisov
    Ásia e Oceania
    URL curta
    17256

    O ministro da Defesa do Japão, Itsunori Onodera, expressou sua preocupação com o voo de bombardeiros estratégicos russos Tu-95 perto da costa oriental do Japão.

    "A Rússia intensifica sua atividade em torno do Japão, isso é um fato, instala diversas unidades militares nas quatro ilhas do norte [ilhas Curilas do Sul], não só envia seus bombardeiros até Okinawa, como desta vez, mas também efetua [outros] voos específicos ao redor do Japão", disse o ministro, ao comentar a opinião sobre essas aeronaves terem capacidade para bombardear o país.

    Onodera acrescentou que "de qualquer forma, acho que temos de ter seriamente em conta os países vizinhos, especialmente a China e a Rússia".

    Ele afirmou também que "aparentemente as ações se intensificaram depois de a comunidade internacional ter imposto sanções contra a Rússia, por causa da Ucrânia e península da Crimeia, e desde que o Japão se juntou a essas sanções", disse.

    O jornal das Forças Armadas russas, Krasnaya Zvezda, anunciou em 21 de fevereiro que dois bombardeiros estratégicos russos Tu-95MS realizaram com sucesso patrulhas aéreas sobre o mar do Japão (também conhecido como mar do Leste) e o mar da China Oriental, bem como sobre o oeste do Pacífico.

    Foi informado também que em algumas partes do percurso os aviões russos foram escoltados por caças da Força Aérea do Japão e que o voo foi feito em estrita conformidade com o direito internacional, sem violar as fronteiras de outros Estados.

    Mais:

    Japão expressa protesto contra manobras da Rússia nas ilhas Curilas
    Coreia do Sul realizará manobras de defesa das ilhas disputadas com o Japão
    Japão protesta contra China devido à violação da soberania das ilhas disputadas
    Tags:
    bombardeiros, voo, Tu-95MS, ilhas Curilhas, Japão, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik