21:33 09 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Navios da Marinha da Índia (foto de arquivo)

    Índia realizará manobras navais para frear influência da China no oceano Índico

    © AP Photo / Rafiq Maqbool
    Ásia e Oceania
    URL curta
    170

    Ao menos 17 países confirmaram sua intenção de participar das manobras de grande escala Milan-2018, organizadas pela Índia, comunicou em entrevista a jornalistas um representante da Marinha indiana, capitão D. K. Sharma.

    De acordo com o representante indiano, cujo nome completo não pode ser divulgado de acordo com as normas do país, as manobras decorrerão de 6 a 13 de março e delas participarão frotas da Austrália, Vietnã, Indonésia, Bangladesh, Mianmar, Maurício, Nova Zelândia, Omã, Tailândia, Sri Lanka, Singapura, Tanzânia, Maldivas, Camboja, Quênia e Malásia.

    "A colaboração no âmbito dos treinamentos Milan inclui a troca de opiniões e ideias quanto à manutenção de paz no espaço marítimo, bem como a intensificação da colaboração regional a fim de lutar contra ações ilícitas no mar", frisou o representante, citado pelo serviço de imprensa do exército indiano.

    De acordo com ele, os treinamentos passaram os limites das manobras regionais e se converteram em um "prestigioso evento internacional", no qual participam as marinhas dos países de todo o Oceano Índico. 

    Vale destacar que um dos principais assuntos a discutir no âmbito das futuras manobras será a presença naval da China na região, frisou o alto funcionário.

    As manobras Milan foram realizadas pela primeira vez em 1995 e, nesse ano, contaram com a participação de somente cinco países. Desde então, os treinamentos são realizados duas vezes por ano. 

    Mais:

    Índia divulga 'lista negra' de empresas de defesa estrangeiras envolvidas em corrupção
    Tensão: Índia nega resposta militar ao Paquistão após ataque na Caxemira
    Índia assegura acesso a porto na península Arábica para 'diminuir influência da China'
    Tags:
    tensões, manobras navais, colaboração, Índia, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik