21:57 16 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Mike Pence, vice-presidente dos EUA, durante campanha eleitoral de 2016, em Nova Hampshire, 7/11/2016

    Coreia do Norte frustra encontro histórico com Pence, revela governo dos EUA

    © REUTERS / Carlo Allegri
    Ásia e Oceania
    URL curta
    8100

    O vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, estava programado para se encontrar com autoridades norte-coreanas, incluindo a irmã do líder Kim Jong-un, mas Pyongyang cancelou o encontro no último minuto, disseram autoridades dos EUA nesta terça-feira.

    "A Coreia do Norte marcou uma reunião na esperança de o vice-presidente suavizar sua mensagem, que teria cedido o cenário mundial para a sua propaganda durante as Olimpíadas", disse o chefe de gabinete de Pence, Nick Ayers, em um comunicado.

    Mas depois que Pence, que passou pela Coreia do Sul para os Jogos Olímpicos de Inverno, condenou os abusos dos direitos humanos norte-coreanos e anunciou planos para novas sanções econômicas, "eles se afastaram de uma reunião ou talvez nunca tenham sido sinceros sobre se sentarem para conversar", disse Ayers.

    Pence se encontraria com a irmã mais nova do líder norte-coreano Kim Jong-un, Kim Yo-jong, e o chefe de Estado nominal, Kim Yong-nam, mas os norte-coreanos cancelaram a reunião de fevereiro duas horas antes dela começar, disse um oficial dos EUA, confirmando uma história relatada pelo jornal The Washington Post.

    O encontro teria sido o primeiro programado entre altos funcionários da administração do presidente estadunidense Donald Trump e Pyongyang, que estão em um impasse sobre o desenvolvimento de armas nucleares do Norte capazes de atingir os Estados Unidos.

    Pence criticou as ambições nucleares de Pyongyang e anunciou as sanções "mais difíceis e agressivas" contra Pyongyang, enquanto também se esforçou para fortalecer a aliança dos EUA com o Japão e a Coreia do Sul.

    Kim Jong-un, através de sua irmã, convidou o presidente sul-coreano Moon Jae-in para Pyongyang para começar a conversar "em breve".

    Sinais de um descongelamento Norte-Sul levaram a especulação de que poderia levar a conversações diretas entre Washington e Pyongyang, após meses de tensão e trocas de insultos entre Trump e Kim, o que alimentou os temores da guerra.

    A Coreia do Norte absteve-se de realizar testes de armas desde o final de novembro, quando disparou o maior míssil balístico intercontinental (ICBM, na sigla em inglês).

    "O presidente tomou uma decisão de que, se quisessem conversar, entregaríamos nossa mensagem intransigente. Se eles pedissem uma reunião, nos encontraríamos. Ele também deixou claro que, até que concordassem em completar a desnuclearização, não mudávamos nada de nossas posições ou negociamos", disse Ayers, ecoando os comentários feitos por Pence desde que ele deixou as Olimpíadas junto com outros funcionários dos EUA.

    Mais:

    Mídia revela 'arma mais potente' da Coreia do Norte
    Coreia do Norte comemora aniversário de Kim Jong-il
    Embaixador sul-coreano: diálogo entre EUA e Coreia do Norte segue possível
    Tags:
    programa nuclear, desnuclearização, acordos de paz, relações bilaterais, diplomacia, Jogos Olímpicos de Inverno 2018, Nick Ayers, Donald Trump, Kim Yo-jong, Kim Jong-un, Mike Pence, Estados Unidos, Coreia do Sul, Coreia do Norte
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik