12:30 23 Abril 2018
Ouvir Rádio
    Erupção vulcânica (imagem ulustrativa)

    Geólogos desvendam se 'inverno vulcânico' é ameaça mortal para Japão

    CC0 / Pexels / Erupção
    Ásia e Oceania
    URL curta
    252

    Recentemente geólogos anunciaram que o Japão poderia ser totalmente destruído por atividade do supervulcão que contém 34 km³ de magma. Isso significa que os japoneses devem evacuar imediatamente ou que o cataclismo poderia acontecer daqui a centenas de anos?

    Para esclarecer a situação e não provocar pânico, os especialistas dão uma resposta mais detalhada sobre o assunto.

    Primeiramente, o cientista da Universidade de Kobe, Tatsumi Yoshi, afirmou que os geólogos começaram a analisar a atividade desse vulcão subaquático não pela presença de qualquer ameaça corrente, mas apenas devido a sua antiga erupção que aconteceu há 7,3 mil anos que eliminou toda a civilização no sul do Japão.

    Assim, ele afirmou que até o momento, cientistas não detectaram qualquer ameaça de erupção vulcânica.

    No seu estudo recém-publicado, confirmaram que a possibilidade do pior cenário acontecer é de apenas 1%. Ao mesmo tempo, os geólogos avisaram que é necessário examinar o mais rápido possível a atividade do vulcão.

    Para não deixar os leitores perplexos, Yoshi explicou que os processos de erupção são muito complicados. Às vezes, o início da catástrofe não pode ser previsto, o que põe moradores em grande perigo. Por tanto, vale a pena estudar possíveis cenários, sendo que a "erupção pode acontecer até mesmo amanhã".

    Entretanto, o especialista sublinhou que em comparação com vulcões terrestres, seus 'vizinhos' subaquáticos "produzem atividade mais intensas, pois neles também ocorrem explosões magmáticas de vapor".

    Ao falar sobre fatores que influenciam e podem causar atividade vulcânica ou despertar vulcões adormecidos, o geólogo explicou o que de fato pode provocar uma catástrofe desse tipo.

    "Não acho que aquecimento global ou testes nucleares da Coreia do Norte influenciarão a atividade vulcânica. Aqui, o maior impacto é exercido pelo estado de estresse da crosta terrestre", explicou.

    Ademais, o cientista adicionou que os recentes terremotos, um dos quais atingiu Japão em 2011, podem mudar o estado da crosta terrestre.

    Este conjunto de fatores "cria uma oportunidade para ativar a atividade vulcânica na região, como ocorre no caso de uma garrafa de champanhe, da qual a rolha é retirada".

    Ao mesmo tempo, o sismologista russo Aleksei Lyubushin prestou atenção ao fato que o despertar de um vulcão é um processo lento e bastante longo que "pode durar alguns dias ou até mesmo meses". Assim, a população terá muito tempo para se preparar ou evacuar.

    No entanto, em sua opinião, se o "inverno vulcânico" realmente ocorrer, causará uma alteração climática tão forte que a sobrevivência de toda a humanidade será o maior problema.

    Mais:

    Vulcão está a ponto de entrar em erupção? Canárias mostram atividade sísmica 'pouco comum'
    Dezenas de milhares de pessoas são evacuadas em Bali por causa de vulcão
    Cosmonauta russo fotografa o despertar do vulcão mais alto da Eurásia (FOTOS)
    NASA partilha imagem de vulcão em erupção captada do espaço (FOTO)
    Vulcão no Extremo Oriente russo desperta de letargo que durou mais de 2 séculos
    Tags:
    inverno, humanidade, perigo, erupção, vulcão, Japão
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik