03:26 15 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Soldados norte-americanos e sul-coreanos durante os exercícicos na Coreia do Sul

    EUA planejam aumentar sua presença militar na Ásia, frente à ameaça chinesa

    © AP Photo / Ahn Young-joon
    Ásia e Oceania
    URL curta
    5412
    Nos siga no

    Atualmente o Pentágono está considerando vários planos para responder à crescente influência da China, inclusivamente um possível posicionamento de unidades de fuzileiros navais na Ásia Oriental, informa o jornal The Wall Street Jornal, citando fontes militares.

    As informações publicadas pelo jornal revelam que atualmente no Japão estão deslocados 50 mil militares estadunidenses, incluindo 18 mil fuzileiros navais, enquanto mais 29,5 mil militares do país estão na Coreia do Sul e outros 7 mil — na ilha norte-americana de Guam.

    Segundo indica o jornal, o Departamento de Defesa dos EUA provavelmente planeja enviar unidades de fuzileiros navais de reação rápida para a Ásia. As unidades contam com aproximadamente 2 mil militares.

    Destaca-se também que as missões de tais grupos normalmente prolongam-se por 7 meses, permanecendo os militares em navios de desembarque. Estes, de fato, representam pequenos porta-aviões que possuem a bordo aviões, helicópteros, tanques, lança-minas e outros tipos de armamento.

    De acordo com o jornal, os planos do Pentágono correspondem à nova Estratégia de Segurança Nacional, publicada pelo Pentágono em janeiro desse ano.

    O documento considera a China, a Rússia, o Irã e a Coreia do Norte como adversários, classificando a Rússia e a China como principais ameaças à segurança dos EUA.

    Mais:

    EUA se preocupam com crescente influência da Rússia e China na América Latina
    Quais são os planos dos EUA em caso de possíveis guerras com Rússia e China?
    Além da Rússia e China, quem mais pode concorrer com EUA?
    Trump qualifica China e Rússia como rivais que desafiam os interesses dos EUA
    China busca aumentar seu poder nuclear para evitar 'bullying' dos EUA
    Tags:
    Estratégia de Segurança Nacional, armamento, porta-aviões, ameaça, presença militar, Corpo de Fuzileiros Navais dos Estados Unidos, Pentágono, Ásia, China, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar