02:23 19 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Soldados do Exército Popular de Libertação da China

    Mídia: China está criando exército ultramoderno

    © AFP 2018/ Sem credenciais
    Ásia e Oceania
    URL curta
    9281

    A China contratou 120 especialistas para trabalhar em um instituto de pesquisas com o objetivo de incentivar o desenvolvimento da inteligência artificial e das tecnologias quânticas, a serem aplicadas na esfera militar, comunica o jornal South China Morning Post com referência a mídias governamentais.

    A edição comunica que o Exército Popular de Libertação da China foi recrutar cientistas da Academia das Ciências Militares. Mais de 95% destes especialistas têm graus acadêmicos nas áreas de tecnologias quânticas e inteligência artificial.

    O South China Morning Post refere que tal medida está relacionada com a intenção de Pyongyang de se tornar uma potência técnico-militar e alcançar os EUA. Isto, em particular, está ligado às tentativas do presidente chinês, Xi Jinping, de criar um exército ultramoderno que "seria capaz de repelir os ataques de qualquer adversário caso seja necessário".

    No desfile militar em 2015, o líder da China anunciou o objetivo de reduzir o número de efectivos das Forças Armadas do país em 300.000 homens (a medida diz respeito às áreas auxiliares das FA), tornando ao mesmo tempo o exército mais eficaz e móvel.

    Contudo, por enquanto o Exército Popular de Libertação da China continua sendo um dos mais numerosos no mundo, contando com cerca de 2,3 milhões de militares, ou seja, 0,18% da população chinesa.

    Mais:

    'Rota da Seda Polar'? China revela novo plano de comércio internacional
    China prepara resposta voadora que desafia tecnologia 'stealth' estadunidense (VÍDEO)
    Quais são as armas da China na guerra comercial contra EUA?
    Tags:
    especialistas, inteligência artificial, militar, efetivo, exército, Xi Jinping, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik