06:19 24 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Navio chinês mostra suas capacidades durante manobras (imagem ilustrativa)

    China promete 'humilhação total' aos EUA se não pararem provocações

    © AP Photo / Xinhua, Wu Dengfeng, File
    Ásia e Oceania
    URL curta
    497919
    Nos siga no

    Duas mídias oficiais do Partido Comunista da China comunicam que Pequim militarizará a zona "se EUA não pararem suas provocações".

    Pequim ameaçou Washington com "humilhação total" se continuar com suas "provocações" no mar do Sul da China, depois que o destróier dos EUA se aproximou da ilha de Huangyan [também conhecida como recife de Scarborough, no mar do Sul da China] sem a permissão do governo chinês.

    Em 17 de janeiro à noite, o destróier estadunidense USS Hopper navegou a 12 milhas náuticas da ilha de Huangyan, no mar do Sul da China, cuja soberania é reivindicada por Pequim. O Pentágono qualificou a manobra como parte de suas operações "de rotina" em águas neutras.

    'Se EUA não pararem suas provocações, China militarizará as ilhas'

    Em resposta, o Global Times, jornal oficial do Partido Comunista da China, publicou um breve comentário onde advertiu que embora Pequim "exerça a moderação" em meio às provocações dos EUA no mar do Sul da China, "há limites".

    "Se EUA não pararem suas provocações, cedo ou tarde China militarizará as ilhas", avisa o informe intitulado "EUA já não domina o mar do Sul da China". "Washington estará sem opções de contramedidas e sofrerá uma humilhação completa", destaca a mídia.

    Da mesma forma, o The People's Daily — outro jornal oficial do Partido Comunista, criticou na segunda-feira (22) os EUA por realizarem as chamadas operações de "liberdade de navegação", que danificam os esforços da China para "melhorar a cooperação pacífica" na região. 

    O jornal sublinha que se Washington seguir provocando problemas e criando tensões no mar do Sul da China, Pequim "será obrigada a concluir que é necessário fortalecer e acelerar o processo de construção de suas capacidades" na zona para "proteger a paz e a estabilidade regionais".

    Mais:

    Pequim vai lançar 10 satélites para monitoramento do disputado Mar do Sul da China
    Bombardeiros ​​chineses sobrevoam o disputado mar do Sul da China
    Duterte: ninguém precisa de guerra no mar do Sul da China
    China se dirige aos EUA: fiquem longe das conversas sobre mar do Sul da China
    Precaução para conflitos: Frota no Mar do Sul da China cria esquadrão de resgate no mar
    EUA: Pequim está minando a ordem internacional no mar do Sul da China
    Tags:
    humilhação, disputa marítima, destróier, provocação, violação, soberania, navio, Partido Comunista da China, Mar do Sul da China, China, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar