06:19 19 Abril 2019
Ouvir Rádio
    Míssil de longo alcance da Coreia do Norte

    Novo lançamento de satélite pode esconder mais um teste balístico da Coreia do Norte

    © REUTERS / KCNA
    Ásia e Oceania
    URL curta
    6121

    A Coreia do Norte está se preparando para lançar um satélite, disse um jornal sul-coreano nesta terça-feira, o que aumenta a tensão na comunidade internacional, já que observadores externos alertam que o programa espacial do Norte é apenas um disfarce para testes de armas.

    Pyongyang está sob múltiplas sanções da ONU sobre seus testes nucleares e de mísseis e está proibida realizar qualquer lançamento usando tecnologia de mísseis balísticos, incluindo satélites.

    "Através de vários canais, soubemos recentemente que o Norte completou um novo satélite e o chamou de Kwangmyongsong-5", informou o jornal Joongang Ilbo, citando uma fonte do governo sul-coreano.

    "Seu plano é colocar um satélite equipado com câmeras e dispositivos de telecomunicações em órbita", disse a publicação.

    Pyongyang lançou seu satélite Kwangmyongsong-4 em fevereiro de 2016, que a maioria da comunidade internacional considerou um teste de mísseis balísticos disfarçados.

    Um porta-voz dos chefes militares da Coreia do Sul afirmou que havia "nada fora do comum neste momento", mas acrescentou que Seul estava atento a quaisquer atos provocativos, "incluindo o teste de um míssil de longo alcance disfarçado de lançamento por satélite".

    A reportagem é publicada ao mesmo tempo em que o jornal do Partido dos Trabalhadores do Norte, o Rodong Sinmun, reafirmou o direito do regime de lançar satélites e desenvolver sua tecnologia espacial.

    Em um comentário publicado na segunda-feira e intitulado "os programas espaciais pacíficos são direitos legítimos dos países soberanos", o diário disse que o satélite de Pyongyang lança "absolutamente correspondência" com as leis internacionais relativas ao desenvolvimento espacial.

    Direitos e planos

    Em uma reunião da comissão da Assembleia Geral da ONU em outubro, o embaixador norte-coreano na ONU, Kim In-ryong, disse que seu país tem um plano 2016-2020 para desenvolver "satélites práticos que podem contribuir para o desenvolvimento econômico e a melhoria da vida das pessoas".

    Ele enfatizou o direito da Coreia do Norte de produzir e lançar satélites "não será alterado apenas porque os EUA o negam".

    Acredita-se que a Coreia do Norte tenha colocado com sucesso um satélite em órbita em dezembro de 2012, após anos de falhas que datam de 1998, quando lançou um satélite piloto e o nomeou Kwangmyongsong-1.

    No início deste mês, o jornal russo Rossiyskaia Gazeta citou um especialista militar russo, Vladimir Khrustalev, dizendo que a Coreia do Norte deveria lançar dois satélites — um satélite de exploração da Terra e um satélite de comunicações – em um futuro próximo.

    Khrustalev fez a observação depois de retornar de sua viagem de uma semana para a Coreia do Norte em meados de novembro, quando se encontrou com representantes da Administração Nacional de Desenvolvimento Aeroespacial (NADA) do país, disse o jornal russo.

    Mais:

    Poderia Coreia do Norte realizar ataque durante Jogos Olímpicos de 2018?
    China nomeia único meio para resolver a crise na península da Coreia
    Coreia do Norte: novas sanções da ONU são uma declaração de guerra
    Tags:
    icbm, testes balísticos, defesa, armamentos pesados, aeroespacial, satélite, Kwangmyongsong-4, JoongAng Ilbo, Vladimir Khrustalev, Kim In-ryong, Pyongyang, Coreia do Norte
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar