14:13 21 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Míssil norte-coreano lançado do submarino (foto de arquivo)

    Chefe da diplomacia britânica: Pyongyang desenvolve míssil capaz de alcançar Europa

    © REUTERS / KCNA
    Ásia e Oceania
    URL curta
    825
    Nos siga no

    A Coreia do Norte vai obter em breve um míssil capaz de alcançar a Europa, e os EUA, a Grã-Bretanha e a Rússia devem frustrar esse projeto, afirmou na quinta (21) o secretário de Relações Exteriores do Reino Unido, Boris Johnson, à Sputnik.

    "Kim Jong-un pode obter em breve um míssil balístico intercontinental capaz de alcançar não somente Nova York ou Londres, mas também Moscou. Isso é possível. Acreditamos que isso acontecerá dentro de 6 ou 18 meses. É um problema muito real", indicou Boris Johnson à Sputnik.

    De acordo com ele, o Reino Unido e a Rússia têm problemas nas suas relações bilaterais, mas devem conjugar seus esforços para resolver a crise norte-coreana, bem como as crises na Síria e no Irã.

    "Devemos resolver os problemas nas relações bilaterais, mas também devemos dizer – e eu digo isso ao ministro das Relações Exteriores da Rússia Sergei Lavrov e ao povo russo – somos países do P5 [membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU]. Devemos trabalhar em conjunto, sempre que tal seja possível, em nome dos nossos cidadãos e do mundo inteiro. Enquanto existem áreas onde podemos cooperar, o Reino Unido e a Rússia precisam pensar nos seus interesses conjuntos", acrescentou ele.

    Ele estimou que a Rússia e o Reino Unido poderiam cooperar para resolver a crise iraniana porque a "posição britânica é muito semelhante à da Rússia".

    "Ambos consideramos que é útil proteger esse acordo. Ambos vemos a necessidade de conter o aspecto militar do programa nuclear iraniano. Nenhum de nós quer ver o Irã com armas nucleares, isso não é bom para o mundo", comunicou o secretário de Relações Exteriores do Reino Unido Boris Johnson.

    Segundo ele, Londres não compara Moscou com Teerã ou com Pyongyang, ele considera a Rússia como uma "potência digna de respeito" com a qual existem desacordos.

    Mais:

    Especialista: realizando mais um teste de míssil, Coreia do Norte arrisca tudo
    Japão: novo míssil da Coreia do Norte pode conter armas químicas e biológicas
    Tags:
    potência nuclear, míssil balístico intercontinental, desenvolvimento, cooperação, crise, ameaça, Boris Johnson, Pyongyang, Grã-Bretanha, Coreia do Norte, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar