14:03 21 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    113
    Nos siga no

    De acordo com a Polícia de Victoria, o motorista do veículo que "colidiu com uma série de pedestres" no centro de Melbourne, Austrália, foi preso.

    Ao menos, 12 pessoas foram feridas na quinta-feira (21) quando um carro atropelou um grupo de pedestres no centro de Melbourne, comunicou no Twitter o serviço de emergência médica do estado australiano de Victoria.

    ​A polícia de Melbourne acredita que o atropelamento da multidão, que provocou 14 feridos, foi um ato deliberado. "Por enquanto, achamos que o ato foi deliberado, contudo, não sabemos a motivação". De acordo com as autoridades policiais, foram detidos dois homens, um dos quais era o motorista, disse o representante da polícia na coletiva de imprensa transmitida pelo canal CNN.

    Segundo dados da agência AP, a polícia australiana comunica sobre 19 feridos.

    Conforme o canal televisivo Sky News, as vítimas incluem uma criança de idade pré-escolar. O carro não parou em um cruzamento e ignorou o sinal vermelho, derrubando várias pessoas.

    ​"Ouvimos um barulho e, quando olhamos à esquerda, vimos um carro branco que simplesmente derrubou todo o mundo", disse uma testemunha à estação de rádio de Melbourne 3AW.

    "As pessoas estão em fuga por toda a parte. Ouvimos barulho, barulho. As pessoas estão correndo por todo o lado", adicionou a testemunha.

    A polícia estadual escreveu no seu site oficial que os policiais já se encontravam na Rua Flinders, onde o carro atropelou alguns pedestres, e que os agentes detiveram o motorista do carro.

    HORROR em Melbourne, Austrália depois de um carro ter colidido com multidão. Muitos feridos. Situação em desenvolvimento…

    Mais:

    Acidente com turistas deixa 12 mortos no México
    3 pessoas morrem e 15 estão desaparecidas após desabamento no Chile
    Irmã do presidente de Honduras e mais 5 morrem em acidente de helicóptero
    Tags:
    motorista, feridos, carro, acidente, Austrália
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar