22:21 23 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    6143
    Nos siga no

    A decisão do COI de proibir a Rússia das Olimpíadas de Inverno de 2018 na Coreia do Sul poderia derrotar as esperanças de Seul de usar a presença do presidente Vladimir Putin nos Jogos como meio de prevenir qualquer possível confronto com a Coreia do Norte, segundo a mídia local.

    A ausência da Rússia nos Jogos seria um golpe para o conceito de Olimpíadas da Paz promovido pelo presidente sul-coreano, Moon Jae-in, que acredita que o apoio da Rússia, detentora de laços estreitos com Pyongyang, é indispensável.

    O presidente Moon quer ver atletas norte-coreanos em Pyeongchang e considera os Jogos 2018 e os futuros em Tóquio e Pequim como "uma chance de construir a paz na península coreana, no Sudeste Asiático e em todo o mundo".

    De acordo com a mídia sul-coreana, Moon teme que, se os russos não aparecerem, o Kremlin terá menos motivos para persuadir os norte-coreanos a viajarem a Pyeongchang.

    Ainda assim, impulsionado pelo acordo de Moscou para permitir que seus atletas participem dos Jogos como "neutros", o presidente sul-coreano instruiu o Ministério das Relações Exteriores a realizar uma série de consultas a portas fechadas com funcionários russos com a promessa de prestar assistência a atletas russos que decidam participar dos Jogos.

    Seul também planeja transmitir ao COI a ideia de que as Olimpíadas em Pyeongchang são importantes para a causa da paz e espera que o COI encontre opções alternativas para oferecer à Rússia.

    EUA e risco de guerra

    Enquanto isso, os EUA ainda não sabem se vão enviar a equipe olímpica americana para Pyeongchang. Donald Trump já confirmou que não vai viajar.

    Seul espera que o adiamento dos exercícios de guerra conjuntos planejados com os EUA evite qualquer resposta agressiva de Pyongyang, Washington, por outro lado,  teme que no momento em que os Jogos começarem, a Coreia do Norte já tenha  capacidade nuclear total que obrigue os EUA a responderem militarmente, comprometendo assim a segurança de seus atletas.

    A Coreia do Sul esteja trabalhando duro para aprimorar os laços com o Norte e exortar outros países a persuadir Pyongyang a autorizar a participação dos atletas norte-coreanos nos Jogos.

    Última chance

    Na próxima quarta (13), o presidente Moon chegará a Pequim com o objetivo de persuadir o seu homólogo chinês, Xi Jinping, a transmitir a mensagem e o espírito olímpico ao líder norte-coreano.

    Quanto a Moscou, as chances de participação de Putin são escassas, a menos que a equipe russa possa marchar sob a bandeira nacional na Cerimônia de Encerramento como prometido.

    Tags:
    Jogos Olímpicos de Inverno, COI, Ministério das Relações Exteriores da Coreia do Sul, Kremlin, Xi Jinping, Vladimir Putin, Moon Jae-in, Estados Unidos, Pequim, Washington, Rússia, Moscou, Coreia do Norte, Coreia do Sul, Pyongyang, Pyeongchang
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar